Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

PRB rejeita Ministério do Esporte e aguada nova oferta de Temer

Presidente nacional do partido, Marcos Pereira, afirma que bancada na Câmara recusou pasta, entre outros motivos, por acreditar que as Olimpíadas de 2016 no Rio, poderá ter problemas

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2016 | 21h21

BRASÍLIA - A bancada do PRB no Congresso Nacional recusou a oferta do vice-presidente Michel Temer para que o partido indicasse o ministro do Esporte de seu eventual governo, informou nesta terça-feira, 10, o presidente nacional da legenda, o advogado Marcos Pereira. O dirigente aguarda nova oferta do peemedebista para que o partido participe da administração do vice. Com a negativa, ainda não há definição sobre a Pasta.

Temer ofereceu o Esporte ao PRB, após decidir fundir o Ministério da Ciência e Tecnologia, pasta até então destinada ao partido, com as Comunicações. A fusão faz parte da estratégia do peemedebista de reduzir o número de ministérios de seu futuro governo. A pasta resultante da fusão deverá ficar com o PSD, que indicará como ministro o presidente do partido, Gilberto Kassab. O dirigente comandou o Ministério das Cidades no governo Dilma.

Marcos Pereira afirmou que a bancada da Câmara recusou a oferta do Ministério do Esporte, entre outros motivos, por acreditar que as Olimpíadas de 2016 no Rio, principal vitrine da Pasta, poderá ter problemas. "Além disso, a pessoa que sabia lidar com tudo isso saiu do partido", disse, referindo-se ao ex-ministro do Esporte de Dilma George Hilton (MG), que migrou do PRB para o PROS após seu antigo partido deixar a base aliada da petista.

O objetivo inicial do PRB era tentar ficar com o Ministério da Agricultura, que foi oferecido ao PP. Para demover o partido de Pereira da ideia, Temer chegou a oferecer outros dois ministérios (Previdência Social e Portos) ao PRB, antes de a sigla finalmente aceitar Ciência e Tecnologia. O partido indicaria Marcos Pereira para o posto. O nome dele enfrentou resistência na comunidade acadêmica, pelo fato de ser bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus.

Procurados, aliados do vice-presidente Michel Temer disseram que ainda não decidiram quem ficará com o comando do Ministério do Esporte. A Pasta também chegou a ser oferecida ao PMDB do Rio de Janeiro, que pretendia indicar o líder do partido na Câmara, deputado Leonardo Picciani (RJ), para o cargo. O parlamentar fluminense ficou irritado ao saber da oferta de Temer ao PRB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.