PRB confirma apoio 'quase rompido' com Dilma

O PRB confirmou na noite desta segunda-feira, 30, em convenção nacional, o apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff com críticas à ingerência do PT na eleição do Rio de Janeiro. De acordo com o presidente nacional Marcos Pereira, manobra do Planalto levou o PROS a deixar o apoio ao candidato do PRB ao governo, Marcelo Crivella, para se alinhar com a candidatura de Antony Garotinho, do PR. "Tivemos momentos difíceis para confirmar essa aliança, ela quase foi rompida por conta do episódio do Rio de Janeiro. Esta manhã, depois de uma conversa com a presidente (Dilma Rousseff), confirmamos o apoio."

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

30 Junho 2014 | 20h26

Pereira atribuiu a manobra a "ministros do Planalto" e disse que o partido vai exigir "mais participação" no governo. No mesmo tom, o deputado George Hilton, líder do partido na Câmara, criticou a "manobra" no Rio disse que "o senador Crivella é o único candidato ficha limpa no Rio de Janeiro".

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que representava a presidente Dilma na convenção nacional do PRB, disse que o episódio no Rio não envolveu o PT. "Temos candidatura própria no Rio e, se houve alguma ingerência, não foi do PT, nem da presidente Dilma." Referindo-se ao fato de o PRB ter duplo palanque em São Paulo - na eleição estadual, o partido apoiará Geraldo Alckmin, do PSDB -, Bernardo considerou que a população é contra a mistura da palanques. "A solução para isso é uma reforma política." O evento teve ainda a presença do ministro da Pesca e Aquicultura, Eduardo Lopes, do PRB.

Mais conteúdo sobre:
eleições PRB

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.