Pratini diz que soja transgênica depende da Justiça

O ministro da Agricultura, Pratini de Moraes, alegou hoje a existência de pendências judiciais para o recuo do governo na liberação do plantio da soja transgênica Roundup Ready, da Monsanto, conforme havia sido anunciado há cerca de 15 dias.Desde que o Ministério Público ingressou na Justiça com uma ação contra o ministro, por suas declarações em favor da soja geneticamente modificada e a promessa de autorização do plantio, Pratini tem se esquivado de comentar o assunto. Hoje, antes de apresentar o Plano Agrícola e Pecuário 2001/02, durante seminário sobre perspectivas do plantio, promovido pela Confederação Nacional da Agricultura, ele disse que a liberação da soja transgênica depende da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) e ao Ministério da Agricultura cabe apenas registrar o grão. A liminar que impede o plantio de soja transgênica vigora desde 1999. Há duas semanas, o Ministério da Agricultura alegava que a MP 2.137, que define a competência da CTNBio, publicada em dezembro do ano passado, anulava o efeito da liminar. Agora, a liminar volta a ser uma das pendências judiciais que o Ministério da Agricultura quer ver resolvida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.