Praga (de ACM?) ronda o conselho de ética

Uma estranha e curiosa maldição está afetando os principaisintegrantes do Conselho de Ética do Senado, responsável pela condução do processo que pode levar à cassação dos senadoresAntonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (sem partido-DF).Primeiro, foi o presidente do órgão, Ramez Tebet(PMDB-MS), que foi acometido de uma alergia que o deixou com o lábio inchado por dois dias.Em seguida, o relator SaturninoBraga (PSB-RJ), que, ao saborear o fruto chamado pequi, ficou com a boca cheia de espinhos.As coincidências viraram motivo de chacota no Senado nesta segunda-feira. Ao entrar no plenário, Saturnino foi calorosamente recepcionadopela senadora Heloísa Helena (PT-AL), que o imitava com as mãos fazendo um gesto como se fosse uma boca cheia deespinhos.?Coitado do Saturnino?, disse ela, com ares de pena maternal. O senador goiano Iris Rezende (PMDB), especialista empequi - uma vez que a galinhada, um dos principais pratos da culinária de Goiás utiliza o fruto em sua receita -,aconselhou: ?Saturnino, pequi não se morde, só se sente o sabor, é para dar o gosto?.Bem-humorado, Saturnino Braga, que nesta segunda se submeteu à segunda sessão para retirar espinhos da boca, levou oscomentários na brincadeira.Ao ser indagado se ele e o colega Ramez Tebet eram vítimas de uma praga, Saturnino reagiu: ?Sei lá, quem sabe??.Quando osrepórteres perguntaram se a tal praga ou maldição teria partido de uma região baiana ou viera de Brasília mesmo, ele apenassorriu e desconversou.Antes do relator, outra vítima de um ?mal bucal? foi Ramez Tebet que amanheceu na quinta-feira, na qual ACM, Arruda e aex-diretora do Prodasen Regina Borges seriam acareados, com o lábio superior completamente inchado.Segundo ele, foi umareação decorrente do nervosismo e da tensão em que está envolvido. ?Sempre tenho isso quando ficou nervoso, depois passa?, disse ele,na ocasião.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.