PR vai ao STF para evitar perda de comissão para o PSD

O líder na Câmara, Lincoln Portela, espera que regra da proporcionalidade seja respeitada

Eduardo Bresciani, do estadão.com.br

02 de fevereiro de 2012 | 17h43

BRASÍLIA - O líder do PR na Câmara, Lincoln Portela (MG), anunciou nesta quinta-feira, 2, que seu partido deve entrar na próxima semana com uma ação junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para evitar a perda do comando de uma das comissões temáticas na Casa para o PSD. Segundo Portela, a intenção é fazer com que a proporcionalidade das bancadas na eleição seja respeitada. Ele afirmou que o DEM deve também buscar o Judiciário, mas o líder ACM Neto (BA) disse que primeiro vai tentar negociar uma "solução interna".

"O PR não abre mão de nenhuma comissão assegurada pelas urnas. Vamos procurar o Supremo antecipadamente para garantir esse direito", disse o líder do PR.

A decisão de procurar o Judiciário deve tumultuar ainda mais o ambiente da Câmara na próxima semana. Todos os anos, as comissões são divididas de acordo com as bancadas eleitas. Como o PSD não existia nas eleições de 2010, o partido reivindica que seja considerada sua bancada atual, que tem 47 deputados em exercício, na divisão dos cargos. Com isso, PR e DEM perderiam a presidência de uma comissão para o novo partido.

O presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), cogitou na quarta-feira, 1º, criar mais duas comissões, elevando para 22 os cargos de presidente destes colegiados e garantindo duas vagas ao PSD. A ideia tem a simpatia do PR e do DEM, mas o PSD resiste. O novo partido teme mais um desgaste como o enfrentado com a criação de 66 cargos para assessorar a liderança, que provocará gastos anuais de R$ 10 milhões para a Câmara.

Tudo o que sabemos sobre:
PRSTFCâmaraPSD

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.