Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

PR oficializa apoio à reeleição de Maia para o comando da Câmara

Partido elegeu 33 deputados na eleição do ano passado, a sexta maior bancada

Mariana Haubert e Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2019 | 12h21

BRASÍLIA - O líder do PR na Câmara, deputado José Rocha (BA) oficializou nesta terça o apoio de seu partido à candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à reeleição para a Presidência da Câmara. Para ele, o democrata é o único que reúne condições necessárias para encampar a agenda do governo no Congresso, principalmente em relação às pautas econômicas.

"Maia é a pessoa certa, com todos os predicados, de ter condição de ajudar o governo aqui dentro da Câmara na pauta positiva como também representar nosso poder fora da Casa", disse a jornalistas.

O partido elegeu 33 deputados na eleição do ano passado, a sexta maior bancada. Em troca do apoio, Rocha negociou a continuidade do deputado Fernando Giacobo (PR-PR) na primeira-secretaria da Câmara. Apesar do acordo, Rocha afirmou hoje que o apoio da sigla "independe de posição na Mesa (Diretora)". O líder do PR afirmou que as negociações para as presidências das comissões temáticas da Câmara ainda não avançaram.

Rocha disse ainda que tentará demover o deputado Capitão Augusto (PR-SP) da ideia de se lançar como candidato à Presidência. O parlamentar já anunciou seu nome para o posto e não deu sinais de que irá abrir mão da eleição. "Temos esperança de conseguir convencê-lo porque o candidato do partido é Rodrigo Maia", afirmou Rocha.

Sobre a iniciativa do deputado eleito Kim Kataguiri (DEM-SP) de acionar o Supremo Tribunal Federal para garantir, via judicial, que a eleição para a Presidência da Câmara se dê em votação aberta e não com o voto secreto, como é feito hoje, Rocha disse discordar da ideia.

"Houve um equívoco muito grande quando o STF determinou o voto aberto para o Senado e a esperança é de que isso seja desfeito", disse. Kim já anunciou que também quer ser candidato à Presidência da Câmara. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.