Divulgação
Divulgação

PR abre processo para expulsar Clarissa Garotinho por ter votado contra a PEC do teto

Segundo o partido, a parlamentar desobedeceu decisão da legenda, que tinha fechado questão para que todos os seus 42 deputados e 4 senadores fossem obrigados a votar favor da proposta

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

11 de outubro de 2016 | 16h46

BRASÍLIA - O PR abriu nesta terça-feira processo de expulsão do partido da deputada federal Clarissa Garotinho (RJ) por ela ter votado contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que cria um teto para os gastos públicos. A matéria foi aprovada pela Câmara dos Deputados ontem, em primeiro turno, por 366 votos a 111.

Segundo o partido, Clarissa desobedeceu decisão da legenda, que tinha fechado questão para que todos os seus 42 deputados e 4 senadores fossem obrigados a votar favor da PEC. O PR diz que a desobediência da deputada foi "agravada" por ela ter postado um vídeo na internet contra a PEC. Clarissa é filha do ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PR).

O PR informou que também deve abrir processo disciplinar contra os deputados Zenaide Maia (PR-RN) e Silas Freire (PI). A parlamentar potiguar votou contra a PEC, enquanto o piauiense se absteve. Os dois deputados do PR que se ausentaram da votação não devem sofrer sanções.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.