PPS vai pedir informações sobre contrato da Petrobrás com Odebrecht

Documentos obtidos pelo Broadcast levantam suspeita de que contrato entre as empresas foi superfaturado

Venilson Ferreira, O Estado de S. Paulo

09 de novembro de 2013 | 17h58

BRASÍLIA - O líder do PPS na Câmara, deputado federal Rubens Bueno (PR), na próxima segunda-feira, 11, entrará com um pedido de informações junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) e ao Ministério das Minas e Energia, sobre a suspeita de superfaturamento no contrato de R$ 825,6 milhões assinado em 2010 pela Petrobras com a Construtora Odebrecht, para realização de serviços na área de segurança e meio ambiente em dez países.

O deputado pedirá ao Ministério de Minas e Energia cópia do contrato e solicitará ao TCU informações sobre o que foi apurado pela auditoria.

Segundo documentos sigilosos obtidos pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, o contrato entre as empresas incluiu previsão de pagamento, na Argentina, de R$ 7,2 milhões pelo aluguel de três máquinas de fotocópias; R$ 3,2 milhões pelo aluguel de um terreno próprio da Petrobras e salário mensal de pedreiro de R$ 22 mil nos Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
PPSPetrobrássuperfaturamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.