PPS questiona interesse do governo em reforma tributária

O presidente do PPS, deputado Roberto Freire (PE), afirmou que "o grande problema é que ninguém acredita que o governo tenha interesse em aprovar a reforma tributária". Segundo ele, não adianta o governo encaminhar a proposta ao Congresso se não fizer o seu papel. Para Roberto Freire, é preciso que haja uma liderança da Presidência da República para convergir todos os interesses. O deputado destacou ainda que há um temor da oposição de o governo encaminhar a proposta tributária, não mobilizar a sua base e depois responsabilizar os outros, como fez no passado em outros episódios.O deputado Paulo Renato (PSDB-SP) disse que o governo está atrasado um ano com o envio ao Congresso da proposta de reforma tributária. Segundo ele, se a proposta tivesse chegado ao Congresso no início do ano passado, haveria mais tempo para discutir a matéria e o governo chegaria com a força da reeleição e a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) para negociar. "Acho que o governo teria uma chance se tivesse enviado (a proposta) no começo de 2007", afirmou. O deputado advertiu ainda que o Congresso está entulhado de medidas provisórias que estão trancando a pauta e que podem dificultar a votação da reforma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.