PPS quer interpelar ministro do Turismo sobre diretor

Ricardo Moesch aprovava contas e liberava verbas para o Instituto Marca Brasil (IMB), do qual sua mãe foi conselheira e sua mulher, advogada

Eduardo Bresciani, do estadão.com.br

09 de junho de 2012 | 15h55

BRASÍLIA - O líder do PPS, Rubens Bueno (PR), vai apresentar um requerimento na próxima semana solicitando informações do ministro do Turismo, Gastão Vieira, sobre a manutenção de Ricardo Martini Moesch no cargo do diretor do Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico (Deaot) da Pasta. Moesch é investigado por aprovar contas, autorizar contratos e liberar verbas para o Instituto Marca Brasil (IMB), que tem sua mãe em cargo de direção e sua mulher como advogada, conforme revelou o Estado na edição deste sábado, 9.

A permanência do diretor no cargo é questionada porque as irregularidades foram constatadas em outubro do ano passado. Bueno pedirá cópia da sindicância instalada na Pasta contra Moesch e estuda acionar ainda o Ministério Público.

A reportagem do Estado mostrou que o diretor já é alvo de um processo disciplinar na Corregedoria-Geral da União (CGU). Desde a chegada de Moesch ao cargo de diretor a instituição obteve 18 parcerias com o ministério em um montante de R$ 25,7 milhões. Em pelo menos duas oportunidades o próprio Moesch havia atuado como procurador de sua mãe em reuniões do IMB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.