PPS quer convocação de indiciados na operação da PF

O PPS pediu formalmente à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara que sejam ouvidos servidores e ex-servidores públicos indiciados na operação Porto Seguro, desencadeada pela Polícia Federal para desarticular uma quadrilha de venda de pareceres técnicos para favorecer interesses privados em órgãos do governo federal.

DENISE MADUEÑO, Agência Estado

27 de novembro de 2012 | 12h29

O deputado Roberto Freire (PE), presidente da legenda, protocolou documento na comissão, na manhã desta terça-feira, pedindo que sejam ouvidos Rosemary Nóvoa de Noronha, ex-chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo; Cyonil da Cunha Borges de Faria Júnior, ex-auditor do Tribunal de Contas da União (TCU); e José Weber Holanda Alves, ex-advogado-geral adjunto da Advocacia-Geral da União (AGU).

A comissão não tem poder de convocar os ex-funcionários e, portanto, o requerimento é de convite para que eles prestem depoimento aos deputados. Não há data ainda para a votação do requerimento na comissão e os convidados podem se recusar a comparecer.

"Muito embora a Polícia Federal esteja cumprindo com seu papel, o Congresso Nacional, que tem a função constitucional de fiscalizar os atos do governo, deve acompanhar de perto mais esse caso de corrupção", argumentou Freire.

Tudo o que sabemos sobre:
PFOperação Porto SeguroPPS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.