PPS descarta aliança com o PT no primeiro turno

O deputado federal Emerson Kapaz (PPS-SP) considera improvável uma aliança de seu partido com o PT no primeiro turno das eleições presidenciais do ano que vem. Ontem, durante encerramento do encontro nacional do PT em Olinda, o presidente de honra da legenda e provável candidato do partido, Luiz Inácio Lula da Silva, fez uma apelo para que PPS, PSB, PDT e setores do PMDB fizessem uma aliança com os petistas na primeira etapa do pleito. O PPS de Kapaz tem o ex-ministro da Fazenda, Ciro Gomes, como pré-candidato à Presidência."O primeiro candidato a propor uma aliança de centro-esquerda ainda no primeiro turno foi o Ciro. Mas acho difícil isso acontecer, já que o Lula não abre mão de sua candidatura", afirmou o deputado à Agência Estado.Na avaliação de Kapaz, uma aliança entre os partidos de centro-esquerda só ocorreria no primeiro turno se todos os pré-candidatos abrissem mão de suas candidaturas e sentassem para conversar. "Agora, como quer o PT, eu não vejo essa possibilidade."Para o deputado do PPS, o quadro eleitoral só estará definido em março. "Precisamos ver como os demais partidos vão se apresentar", afirmou ele, que acredita na consolidação da candidatura da governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL).Segundo Kapaz, o PPS caminha, por enquanto, com a candidatura única de Ciro Gomes, a ser homologada em convenção da legenda em 25 de janeiro, na capital paulista. No mesmo dia, segundo ele, o partido também apresentará o programa de governo que será apresentado por Ciro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.