PPS conclama sociedade para o impeachment de Lula

O PPS divulgou nota conclamando a sociedade para que se mobilize no sentido de pedir o impeachment do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, depois da denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, que pede o indiciamento de 40 pessoas. Pela Constituição, partidos políticos não podem pedir o impeachment do presidente. Apenas cidadãos ou representantes de entidades civis têm esse direito. De acordo com a nota divulgada pelo PPS formam o grupo de indiciados "o núcleo central do governo Lula, lideranças do PT e de partidos aliados, além de empresários executivos de estatais e servidores públicos, por formarem uma quadrilha criminosa que assaltou o Estado, com o intuito de se perpetuar no poder"."O PPS entende que o impeachment volta à ordem do dia e se impõe a necessidade de um debate sobre sua utilização, como instrumento de afirmação democrática e respeito às instituições republicanas".O partido ressalta também, na nota, que o fato de o nome do presidente Lula não estar entre os indiciados, não o exime de culpa. "Na verdade Lula está presente em todo o processo como o comandante maior de um governo corrupto". "No presidencialismo a responsabilidade pelos atos políticos e administrativos é do presidente da República. Cabe, portanto, a Lula responder pela ação criminosa praticada dentro do aparelho estatal. Até porque a quadrilha era formada pelos seus principais ministros e por dirigentes nacionais em seus partidos. É impossível excluir o presidente", ressalta a nota do PPS. A nota foi divulgada em ato que contou com a participação dos principais dirigentes do partido e a bancada do Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.