PPPs colocam Brasil em estrutura moderna, diz Palocci

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, disse hoje, em discurso na cerimônia de sanção da lei que institui as Parcerias Público-Privada, que o projeto não encerra as mudanças que o País precisa fazer, mas marca o ingresso do Brasil em uma estrutura institucional moderna. Segundo o ministro, as PPPs somam-se nesse esforço de transformação a outros projetos já aprovados, como o da nova Lei de Falências. Palocci prevê que em alguns meses o Brasil já verificará os benefícios dessa lei de falência, com a possibilidade de recuperação de empresas em crise, no prazo entre um ano e meio e dois anos, a exemplo do que ocorre no exterior. Com a legislação antiga, lembrou Palocci, as empresas não se recuperavam nem no prazo de 10 anos. O presidente do BNDES e mentor do PPP, Guido Mantega, disse que o banco está ansioso para apoiar os projetos de parceria e pressionará o governo para enviá-los o mais rápido possível. Mantega destacou a importância das PPPs para sustentar o crescimento da taxa de investimento, que subiu de 18% do PIB, em 2003, para 20% em 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.