PP tenta se livrar do presidente de honra Paulo Maluf

O presidente do PP, Pedro Correia (PE), tentou se esquivar hoje de qualquer relação do partido com o ex-prefeito de São Paulo, Paulo Maluf, detido em Paris quando realizava uma operação financeira. Ele lembrou que desde abril Maluf não integra mais a executiva da legenda. Esqueceu, porém, que o ex-prefeito é o presidente de honra do PP, antigo PPB. No site do partido (www.ppb.org.br), o nome de Maluf aparece logo abaixo ao do próprio Pedro Correia, quando a legenda explica quem é o ?PP Hoje?. Ele disse que não caberia comentar a detenção de Maluf, já que o ex-governador se encontrava fora do País, em viagem particular.O presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Banestado, senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), disse que a detenção do ex-governador paulista Paulo Maluf em Paris "não deixa de ser uma surpresa". "Estávamos numa sessão reservada da CPI, quando recebemos informação da imprensa sobre a detenção", relatou Paes de Barros. Ele disse saber que Maluf está respondendo a processo, em São Paulo, por evasão de divisas e que, ontem, a comissão resolveu requisitar os documentos desse processo ao Ministério Público de São Paulo. "Mas, enquanto não tivermos esses documentos, seria enormemente precipitado fazer qualquer juízo sobre a ligação da detenção com a evasão de divisas", observou.

Agencia Estado,

24 de julho de 2003 | 18h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.