PP e PTB apóiam Chinaglia para a presidência da Câmara

O PP e o PTB decidiram nesta quarta-feira, em votação em suas bancadas, apoiar a candidatura de Arlindo Chinaglia (PT-SP) à presidência da Câmara. Com 41 deputados, o PP teve a votação de 34, e 22 optaram por Chinaglia. O candidato petista recebeu 15 votos dos presentes e mais sete por escrito. Aldo Rebelo (PCdoB-SP) teve nove votos, Gustavo Fruet (PSDB-PR), candidato da terceira via, recebeu dois votos e houve um voto em branco. O grupo aliado a Aldo tentou adiar a reunião, o que provocou um início de tensão entre os parlamentares durante a votação. No PTB, o nome de Gustavo Fruet não constava da cédula. Dos 24 deputados, 19 votaram em Chinaglia, três em Aldo, um em branco e um parlamentar não compareceu. Com o apoio formal do PP e do PTB, Chinaglia já contaria com a preferência da maioria dos deputados da base aliada e de parlamentares que estiveram envolvidos no esquema do mensalão. "A sociedade já penalizou quem participou desse episódio. Esta é uma nova bancada, quem está aqui foi muito bem eleito", afirmou o líder do PP na Câmara, deputado Mário Negromonte (BA). Chinaglia disse que um dos objetivos da sua candidatura é o de "recuperar a autoridade da Câmara dos Deputados, que saiu arranhada" dos escândalos. O líder do governo disse que todos, na Câmara, têm história, e que sua atuação política lhe dá tranqüilidade. "Eu creio que é prudente aguardar o resultado e depois fiscalizar as nossas ações", disse Chinaglia. Com Reuters

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.