JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO
JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO

PP convida senador Blairo Maggi para se filiar ao partido para assumir Agricultura

Convite foi confirmado pelo senador, filiado atualmente ao PR do Mato Grosso

Ricardo Brito e Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2016 | 17h38

Brasília - O presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), convidou o senador Blairo Maggi (PR-MT) para se filiar ao PP a fim de assumir o Ministério da Agricultura na cota do partido em um eventual governo Michel Temer. Os dois conversaram nesta quinta-feira, 5, e Blairo Maggi, uma das principais lideranças do agronegócio no Congresso, ficou de dar uma resposta para Ciro nos próximos dias.

Blairo confirmou ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, o convite e disse que discute com aliados e com o PP que condição de trabalho ele teria à frente da Pasta. "Que autonomia eu vou ter? Dizer que fui lá só para dizer que fui? Não é isso", disse.

O senador pelo PR comentou que, se assumir o cargo, vai entrar e "fazer o que precisa ser feito, o que deve ser feito" para melhorar o setor. "As coisas podem acontecer nessa direção, existe o convite, existe a conversa, agora se vai se concretizar ou não, dependerá dessas coisas", disse o parlamentar, cuja família é produtora rural em Mato Grosso.

Blairo faz parte do grupo mais próximo do presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), que tem ressaltado nos últimos dias que não indicaria nenhum dos quadros para compor um eventual novo governo Temer, caso a presidente Dilma seja afastada no processo de impeachment."Seria muito bom tê-lo no partido. Além de ser um senador com peso político, tem uma relação muito boa com o agronegócio", afirmou um influente deputado do PP. O senador é agrônomo de formação e dono de várias empresas no ramo do agronegócio, que lhe renderam a alcunha de o "rei da soja".

O senador entraria, assim, na cota do PP no Senado na gestão Temer, caso mude de partido. Blairo Maggi disse que não teria nenhum empecilho para se filiar ao PP em Mato Grosso. Recentemente, ele estava prestes a entrar no PMDB do Estado, mas recuou após divergências com o diretório local.

Condições. Em caráter reservado, um deputado sinaliza que esse discurso de apoio à indicação de Maggi só se sustentará se Ciro Nogueira indicar um representante da bancada da Câmara para a Saúde. O mais cotado hoje é o do deputado Ricardo Barros (PP-PR), que foi relator do Orçamento da União de 2016.

Apesar de Nogueira já ter descartado oficialmente o nome do cirurgião paulista Raul Cutait para a Saúde na cota do partido, Temer insiste, nos bastidores, para que o PP avalize o nome do médico. Outro nome possível é o do deputado Ricardo Barros (PP-PR). A bancada na Câmara, contudo, não aceita a indicação e ameaça não apoiar o peemedebista na Casa. 

Caso eventualmente Temer insista na indicação de um "notável" avalizado pelo PP para o Ministério da Saúde, os deputados vão insistir em indicar o futuro ministro da Agricultura. "Só vamos tratar da Agricultura de fato depois de acertada a Saúde", disse um influente deputado do PP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.