Povo pede serviços públicos de qualidade, discursa Alves

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), aproveitou seu discurso na sessão em homenagem aos 25 anos da Constituição para fazer uma referência às manifestações populares de junho. Alves comparou o movimento deste ano com o período da redemocratização do País. "Na época das Diretas Já, o grito era por mais liberdade e democracia. Hoje, a exigência popular volta-se para a cobrança pela prestação de serviços públicos de qualidade e pelo anseio por mais ética na vida pública", disse o presidente Henrique Eduardo Alves durante sessão solene para homenagear os 25 anos da Carta, no Plenário da Câmara.

RICARDO DELLA COLETTA E DAIENE CARDOSO, Agência Estado

09 de outubro de 2013 | 12h30

Henrique Alves destacou que a Constituição "estabeleceu a austeridade orçamentária e fiscal" e criou um sistema federativo "inovador à época", mas ponderou que esse sistema "precisa se adequar à modernidade do País".

No pronunciamento que abriu a sessão, Alves fez um balanço dos 20 meses de trabalho da Constituinte. Segundo ele, foram 24 mil horas de discursos e debates, quando "a Casa funcionava 25 horas por dia". "Tivemos 1.021 votações e 330 sessões neste Plenário, num processo longo e exaustivo", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaCongressoHenrique Alves

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.