Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Possível candidatura de Doria divide tucanos em São Paulo

Tanto na bancada do PSDB da Assembleia Legislativa quanto na da Câmara dos Vereadores há dissidentes que não gostam da ideia do prefeito da capital no Palácio dos Bandeirantes

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

01 Março 2018 | 19h59

A possível candidatura do prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB), ao governo do Estado divide tucanos em São Paulo entre apoiadores e contrários à movimentação do prefeito para suceder Geraldo Alckmin no Palácio dos Bandeirantes.

Se por um lado a ideia é apoiada oficialmente por apenas sete dos 22 deputados estaduais da legenda, a intenção não encontra apoio unânime na bancada do PSDB na Câmara de Vereadores.

++ Doria age para isolar adversários internos que defendem prévias

Há uma semana, a bancada do partido na Câmara se reuniu para discutir o assunto e uma ala majoritária de oito dos 11 vereadores decidiu assinar uma nota de apoio à candidatura de Doria. Não assinaram os vereadores Patrícia Bezerra, ex-secretária do prefeito; Mario Covas Neto, que promove uma campanha pela permanência de Doria na Prefeitura; e Claudinho de Souza, ausente na reunião.

Segundo um dos vereadores tucanos relatou ao Broadcast Político, Mario Covas Neto informou na ocasião que deixaria o partido, discordando do apoio a uma candidatura de Doria neste ano. Covas Neto organizou o anúncio de sua desfiliação para a noite desta quinta-feira (1).

++ Doria lamenta saída de Mario Covas Neto do PSDB

Na carta, entregue ao prefeito pelos oito vereadores, o grupo afirma que Doria atende ao clamor das ruas por renovação na política. "João Doria, filiado há quase 20 anos no partido, é o candidato que tem a aptidão de formar uma ampla base de apoio partidária, não somente para bem governar São Paulo, como também, para oferecer sustentação a eleição e ao governo nacional", diz o texto.

 

Na próxima segunda-feira (5), o diretório estadual do PSDB se reúne na capital para decidir sobre as prévias no Estado. Conforme o jornal O Estado de S.Paulo mostrou, Doria age para isolar os demais pré-candidatos e ter seu nome aclamado como candidato pela legenda.

Também disputam a indicação o secretário de Desenvolvimento Social do Estado, Floriano Pesaro, o cientista político Luiz Felipe d'Avila e o ex-senador José Aníbal./COLABOROU PEDRO VENCESLAU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.