Posição em pesquisas influi nas contribuições

O fluxo de doações para os candidatos costuma oscilar de acordo com o desempenho nas pesquisas eleitorais. A baixa captação financeira num primeiro momento da campanha é revertida tão logo os grupos econômicos identificam o crescimento do candidato. A margem de manobra dos doadores é dada por uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que autoriza as contribuições financeiras feitas até o dia das eleições e, excepcionalmente, até depois do pleito para quitar despesas já contratadas pelos candidatos. Nas eleições para a Prefeitura de São Paulo, em 2004, por exemplo, a candidata do PT, Marta Suplicy - que tentava a reeleição -, recebeu contribuições entre o primeiro e o segundo turno. Por sua vez, o comitê financeiro do PSDB, que alimentou a candidatura de José Serra - que acabou vencendo as eleições à prefeitura paulistana em 2004 - recebeu doações até fim de novembro. É comum, ainda, que um mesmo grupo econômico contribua simultaneamente para comitês financeiros de vários candidatos, dosando as contribuições de acordo com a possibilidade de eleição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.