Porta-aviões São Paulo será aberto à visitação

Comprado pela Marinha do Brasil por US$ 12 milhões (cerca de R$ 24 milhões) o porta-aviões francês Foch, que foi rebatizado com o nome de "São Paulo", está aberto pela primeira vez à visitação pública. O navio, que atracou ontem à tarde no cais da Companhia Docas do Rio de Janeiro, na Praça Mauá, recebe os visitantes hoje, amanhã e segunda-feira. Militares da tripulação do porta-aviões estão no local para prestar informações sobre as características e funcionamento da embarcação. O acesso dos visitantes será pelo portão próximo ao terminal de passageiros.O "São Paulo" tem capacidade para transportar até 37 aeronaves e dois helicópteros. Ele começou a operar em 1963 e participou da Guerra do Golfo pela Marinha francesa. Pesa 32,5 mil toneladas (deslocamento máximo), tem 266 metros de comprimento e 51,2 metros de largura. Segundo estimativas da Marinha, o porta-aviões deverá ter mais 20 anos de serviço ativo.Com a chegada do "São Paulo", a Marinha aposentou o porta-aviões "Minas Gerais". A Prefeitura do Rio está em negociações com a Marinha para ficar com a administração do "Minas Gerais", que seria utilizado para atividades culturais e na festa de reveillon de Copacabana (fogos seriam lançados do mar, no porta-aviões). A principal vantagem do novo navio sobre o antigo é que o São Paulo é mais veloz. Ele atinge uma velocidade máxima de 30 nós, enquanto o outro chegava a 24 nós. Na América do Sul, o Brasil é o único País que dispõe de um porta-aviões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.