Por que será que Serra não sobe nas pesquisas?, pergunta César Maia

O prefeito do Rio, Cesar Maia, que assumiu hoje o cargo de vice-presidente do PFL, criticou o baixo desempenho dos pré-candidatos do PSDB à presidência da República nas pesquisas. Segundo ele, o ministro da Saúde, José Serra, um dos nomes cogitados para a sucessão, não tem conseguido subir nas pesquisas apesar das qualidades técnicas e da exposição pública que o cargo lhe proporciona. "Serra tem capacidade técnica e, se fosse um concurso público, é claro que ele ia ganhar. Mas é eleição. E não é possível que diante de tamanha exposição ele fique flutuando em 2% e 4%?, afirmou. E questionou: "Será que o problema está no governo ou nos candidatos do PSDB?". Na sua avaliação, o governo tem todas as condições de eleger o sucessor do presidente Fernando Henrique Cardoso, já que todas as pesquisas apontam que 40% estão com o governo, ou seja, um porcentual superior ao obtido em favor de Luís Inácio Lula da Silva nas pesquisas. "Se o ministro Serra não muda de patamar é por causa do governo ou de seu carisma??, perguntou também Cesar Maia. Na análise do prefeito, o baixo desempenho do ministro não está vinculado ao governo. "O problema não é o governo. O problema é ter um candidato viável dentro do governo". O prefeito do Rio cobrou dos eventuais candidatos tucanos uma postura mais governista, ressaltando que "ninguém é mais governo que o PFL". No seu ententer, os pré-candidatos do PSDB deveriam assumir "plenamente o governo e mostrar que o país não pode viver de aventuras". "Acho estranho e me preocupa que os candidatos do PSDB se destaquem não pela afirmação de um governo que servem, mas pela crítica", completou, sem citar, no entanto, os nomes de Serra e do governador do Ceará, Tasso Jereissati, considerados pré-candidatos no partido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.