Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

'Por onde você anda, pré-candidata?'

Marina Silva tenta dar visibilidade à campanha

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

25 Março 2018 | 05h00

Apesar de bem posicionada em pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República, Marina Silva (Rede) tem tido dificuldades para dar visibilidade à sua pré-campanha. Mesmo com uma agenda cheia, a ex-ministra costuma ser cobrada pelo seu “sumiço” da vida pública.

++ Não é questão de ser o Lula, é questão de ser a lei, diz Marina

++ Baixas na Rede podem tirar Marina de debate

No domingo passado, por exemplo, em uma conversa com internautas pelo Facebook, foi questionada por um eleitor: “Por onde você anda, Marina?”. Em resposta, ela disse que sempre esteve na ativa e reclamou de “uma tentativa de ocultamento” do seu trabalho.

O Estado acompanhou agendas de Marina na semana passada. Na terça e na quarta-feira, a ex-ministra foi figura de destaque do Fórum Mundial da Água, promovido em Brasília. Mesmo tendo deixado o Ministério do Meio Ambiente há dez anos, foi recebida com deferência, tirou selfies e foi reconhecida até mesmo por participantes estrangeiros.

Durante o fórum, Marina participou de debate ao lado da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, foi uma das “estrelas” do lançamento do documentário sobre práticas sustentáveis do ator Marcos Palmeira e recebeu homenagens. 

“Precisamos de mais mulheres na política, sua candidatura é muito importante”, disse a ativista boliviana Maria Teresa Vargas, que dividiu uma mesa de discussão com Marina.

Fora da esfera ambiental, a ex-ministra teve um encontro com embaixadores em Brasília, foi ao Rio filiar à Rede nomes como a atriz Cássia Kiss e o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, e ainda a São Paulo para participar de eventos com empresários do ramo do varejo e de movimentos sociais.

A pouca visibilidade de Marina neste momento pode ser explicada pelo seu isolamento político. Sem alianças com outros partidos, a Rede deve bancar sozinha a terceira tentativa da ex-ministra de chegar ao Planalto. Os próprios integrantes da Rede reconhecem a existência de um cenário adverso. “É uma ótima candidata, com muitas dificuldades, mas estamos dispostos a enfrentar todas”, disse o deputado Miro Teixeira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.