Dida Sampaio / Estadão
Dida Sampaio / Estadão

'Por enquanto, sem alteração', diz Bolsonaro sobre indicação de Eduardo a embaixador

Atuação do presidente para colocar filho na liderança do PSL na Câmara deixou em suspenso possibilidade de deputado assumir cargo

Mateus Bandeira Vargas, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2019 | 10h04

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira, 18, que não há alteração sobre a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) ao cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos. "Por enquanto, sem alteração", disse o presidente.

A atuação de Bolsonaro para colocar Eduardo na liderança do PSL na Câmara deixou em suspenso a possibilidade de o deputado assumir a embaixada.

O presidente indicou o filho para o cargo há três meses, mas até agora a intenção não foi formalizada. Para ser confirmado embaixador, Eduardo precisa ser sabatinado e aprovado pelo Senado. Como não há segurança no Planalto sobre o apoio ao nome entre os senadores, o cargo na Câmara seria uma "saída honrosa", segundo auxiliares de Bolsonaro.

Para Entender

Entenda a escalada na crise entre bolsonaristas e ‘bivaristas’ no PSL

De 'queimado pra caramba' até a tentativa de obstrução na Câmara, embate no partido do presidente se agrava; veja

Auxiliares de Bolsonaro afirmam que, apesar da peregrinação, Eduardo não conseguiu convencer um número suficiente de senadores a apoiarem seu nome – o que poderia levar a uma derrota emblemática para o governo. Aliados minimizam a culpa do parlamentar no insucesso e colocam a conta no atraso da discussão da reforma da Previdência e nas dificuldades enfrentadas pelo governo com a liberação de emendas na Casa.

Outro ponto discutido com o presidente seria o futuro político de Eduardo, visto hoje pela rede bolsonarista e por pessoas próximas como a “escolha natural” como sucessor político do pai ante aos nomes dos filhos “01”, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), e o “02”, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ).

Convites de partidos

O presidente afirmou que já recebeu vários convites de partidos para sair do PSL. "Tô meio bonito, né. Então tem vários convites", disse.

Questionado se algum partido de esquerda o convidou, Bolsonaro ironizou: "Tá chamando a esquerda de maluca ou eu de maluco?".

Bolsonaro recebeu na manhã desta sexta o presidente do PSD, Gilberto Kassab (SP). Segundo Bolsonaro, foi uma visita de cortesia.

"Eu converso com todo mundo. Uns eu convido, outros querem vir. É o papel de um presidente. Eu quero paz para poder governar. Temos problemas enormes no Brasil para poder resolver", disse Bolsonaro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.