Antônio More/Estadão
Antônio More/Estadão

Por delação, defesa de Marcelo Odebrecht recorre ao STF

Advogados do empreiteiro pediram que Supremo interrompa análise de habeas corpus que tenta garantir liberdade ao executivo para garantir andamento das negociações com Ministério Público Federal

BEATRIZ BULLA e FÁBIO SERAPIÃO, O Estado de S.Paulo

25 Outubro 2016 | 05h00

BRASÍLIA - Em meio a longas tratativas para fechar uma delação premiada, a defesa de Marcelo Odebrecht pediu que o Supremo Tribunal Federal (STF) interrompa a análise de um habeas corpus que tenta garantir liberdade ao executivo.

O STF iria discutir um recurso da defesa do ex-presidente da Odebrecht nesta semana, mas os advogados pedem que o Supremo deixe sobrestado o caso por mais 60 dias para garantir o andamento das negociações com o Ministério Público Federal.

O pedido de sobrestamento é uma exigência do próprio MPF para garantir a continuidade das negociações. 

A negociação dos executivos da Odebrecht tem se arrastado há meses, conduzida por uma tropa de advogados e pelos procuradores da República ligados à Operação Lava Jato. Nas últimas semanas, no entanto, fontes ligadas ao caso consideram que a colaboração entrou na reta final e deve ser completamente fechada no início de novembro. 

Alguns acordos já foram finalizados, segundo fontes com acesso às negociações, mas um dos casos emperrados e considerado como ponto alto da delação da empresa é o de Marcelo Odebrecht. Os investigadores querem que ele assuma o papel de responsável pela estruturação de um esquema de corrupção dentro do grupo e insistem em um cumprimento de pena em regime fechado por tempo superior ao desejado pela defesa e pela família do executivo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.