Por campanha, Dilma se afasta de fundação gaúcha

A ex-ministra-chefe da Casa Civil Dilma Rousseff suspendeu por tempo indeterminado seu contrato de trabalho com a Fundação de Economia e Estatística Siegfried Emanuel Heuser (FEE), ligada ao governo do Rio Grande do Sul, para se dedicar à candidatura à Presidência da República pelo PT.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

07 de abril de 2010 | 17h05

Servidora concursada da instituição desde a década de 70, Dilma estava cedida ao governo federal até o dia 31 de março, quando afastou-se do Ministério. Na transição da pasta para a campanha, Dilma se submeteu às formalidades legais com o empregador ao qual está vinculada.

Em dois atos administrativos publicados no Diário Oficial do Estado nos dias 29 e 31 de março, o presidente da FEE, Adelar Fochezatto, revogou a cedência da funcionária à Casa Civil e autorizou a suspensão do contrato individual de trabalho da servidora, a pedido dela. Enquanto estiver afastada, Dilma não receberá salários da fundação.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoDilma RousseffFEElicença

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.