Por agenda positiva, Temer entrega ambulâncias no RS

Unidades fazem parte de um total de 340 que foram adquiridas pelo Ministério da Saúde e serão distribuídas em diferentes localidades do Brasil; entre as cidades gaúchas contempladas, 41 são governadas por partidos aliados ao Planalto

Fernando Soares, especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

09 de janeiro de 2017 | 11h31

ESTEIO - Continuando o roteiro por diferentes Estados brasileiros no intuito de emplacar pautas positivas, o presidente da República, Michel Temer, fez nesta segunda-feira, 9, sua primeira visita ao Rio Grande do Sul desde que assumiu o cargo. Temer desembarcou na base aérea de Canoas por volta das 9h30, para cumprir agenda no Estado.

De lá, o presidente partiu de helicóptero para Esteio, na região metropolitana de Porto Alegre, onde participa de solenidade de entrega de 61 ambulâncias do Samu a prefeitos gaúchos. Os equipamentos estão valorados em R$ 10,1 milhões.

As unidades fazem parte de um total de 340 que foram adquiridas pelo Ministério da Saúde e serão distribuídas em diferentes localidades do Brasil. Entre as cidades gaúchas contempladas, 41 são governadas por partidos da base aliada de Temer, sendo 20 pelo PMDB, 16 pelo PP, 6 pelo PSDB, 4 pelo PSB, 2 pelo PTB e 1 pelo DEM. Das demais, 6 são administradas pelo PT e outras 6 pelo PDT.

O titular da Saúde, Ricardo Barros, acompanha a entrega dos veículos aos prefeitos. Três ministros gaúchos que compõem o governo, Eliseu Padilha (Casa Civil), Osmar Terra (Desenvolvimento Social e Agrário) e Ronaldo Nogueira (Trabalho) também estão presentes.

Protesto. Do lado de fora do Parque de Exposições Assis Brasil, onde ocorre o evento, representantes de sindicatos e movimentos sociais protestam contra Temer e o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori. Cerca de 50 pessoas se manifestam contra as reformas trabalhista e da Previdência.

A diretora de núcleo do Sindicato dos Professores do Rio Grande do Sul (Cpers) Teresinha Da Silva relata que os manifestantes foram retirados pela Brigada Militar de uma área coberta na entrada do parque para que os portões fossem fechados. Houve tumulto e a polícia chegou a lançar spray de pimenta nos manifestantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.