Ponte da Amizade terá desinfecção de aftosa

Cerca de 20 mil veículos e pedestres que todos os dias cruzam a fronteira com o Paraguai e a Argentina, em Foz do Iguaçu (PR), terão de passar, a partir de hoje, por um processo de desinfecção antes de entrar no Brasil. Tapetes antiaftosa, chamados de pedilúvio e rodilúvio, foram instalados pelo Ministério da Agricultura nas alfândega das pontes de acesso aos dois países, para impedir a entrada da doença no País.A medida tem o objetivo de resguardar o rebanho nacional ameaçado pelo crescimento de focos e suspeitas de aftosa nos países vizinhos. Duas lombadas de rodilúvios (sistema antiaftosa para veículos) foram instaladas na entrada das pontes da Amizade e Tancredo Neves, que ligam, respectivamente, Foz do Iguaçu a Ciudad del Este (Paraguai) e Puerto Iguazú (Argentina). Os pedilúvios (para pedestres) também devem começar a funcionar a partir de hoje nas duas aduanas.Pedilúvio é uma espécie de tapete especial, que contém uma esponja embebida em cloreto de sódio 4%, utilizado para desinfetar calçados. O Ministério considera essencial esse processo de desinfecção por produtos químicos, devido ao alto risco da entrada do vírus da aftosa no País, que pode ser propagado pelo ar e transportado por pessoas e automóveis. Antes de entrar no Brasil, todos os veículos passarão sobre uma lâmina de água misturada a um produto químico para se livrar de qualquer vestígio de contaminação da doença.Já que o aeroporto de Foz não recebe nenhum vôo internacional, o Ministério da Agricultura vai manter no local um pedilúvio móvel, por ser considerado uma área de menor risco. Segundo o chefe do órgão na cidade, Gil Bueno de Magalhães, o equipamento será usado no caso da chegada de vôo charter, com passageiros de outros países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.