Pomar diz que retorno de Berzoini é ´ruim para o PT´

O secretário de Relações Internacionais do Partido dos Trabalhadores (PT), Valter Pomar, disse, em artigo divulgado no site da legenda na internet, que o retorno do deputado federal Ricardo Berzoini à presidência do partido, oficializado nesta terça-feira, é, "do ponto de vista político, ruim para o PT". Pomar disse que, embora não haja ressalvas legais para a recondução de Berzoini, seria melhor que o assessor especial da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, continuasse ocupando o cargo interinamente até o 3º Congresso do partido, em julho, ou até a próxima eleição da legenda.Para defender sua posição, Pomar afirmou que a presença de Berzoini na presidência "facilitará a vida dos que insistem em colocar o PT nas páginas policiais". Além disso, de acordo com ele, o episódio da tentativa de compra do dossiê que seria usado contra tucanos na eleição "provocou uma quebra nas relações de confiança existentes entre Berzoini e parcela importante dos dirigentes partidários".O secretário do PT também alegou que, como Berzoini não estava à frente da presidência durante a fase final da campanha, isso "tem implicações na sua relação com a sociedade, com o partido e com o governo". Pomar disse ainda que "há indivíduos que parecem querer instrumentalizar seu retorno à presidência, a favor de um grupo e não a favor do partido".Pomar afirmou que listou esses motivo a Berzoini quando foi informado de seu retorno, no dia 29 de dezembro. "Não me compete informar de que maneira Ricardo Berzoini reagiu a cada uma dessas ponderações", disse o secretário no artigo.Por fim, Pomar fez um apelo à unidade do partido. "Uma vez que Berzoini tomou a decisão de retornar à presidência, mesmo que de forma e em data que me parecem pouco adequadas, é fundamental que a direção nacional do partido siga funcionando coletivamente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.