Reprodução/Twtiter
Reprodução/Twtiter

Políticos e personalidades comentam delações sobre Temer nas redes sociais

Janaína Paschoal disse que não se arrependeu de pedir impeachment de Dilma; já senador Requião gravou vídeo chamando os corruptos de 'canalhas, canalhas, canalhas'

O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2017 | 09h56

Um dia após a delação premiada que revela suposta compra de silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha pelo presidente Michel Temer ser divulgada, políticos, celebridades e juristas comentam a situação nas redes sociais. O delator Joesley Batista, empresário da JBS, também afirmou que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pediu R$ 2 milhões sob o argumento de que precisaria de ajuda para sua defesa na Lava Jato.

A jurista Janaína Paschoal, uma das autoras do impeachment da presidente Dilma Rousseff, usou suas redes sociais para falar sobre a delação que envolveu Temer. “Já me perguntaram se me arrependi de pedir o impeachment de Dilma. Não! Essa limpeza toda era necessária”, escreveu. Janaína pediu, ainda, que o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, divulgue os áudios que comprovam a delação e que a ministra Cármen Lucia, presidente do STF, “se prepare para assumir a Presidência”.

A senadora do PMDB, Kátia Abreu, disse que “o país está sendo passado a limpo.” Apesar de ser do mesmo partido do presidente, a parlamentar é amiga de longa data da ex-presidente Dilma. O senador Roberto Requião, também peemedebista, gravou um vídeo chamando de "canalhas, canalhas, canalhas" os investigados por corrupção citados nas delações, que chama de "arrasadoras". No Twitter, escreveu: "Agora a vaca foi para o brejo e levou a corda". 

O deputado Onyx Lorenzoni, líder na Câmara do DEM, partido aliado ao presidente Temer, gravou um vídeo e postou em seu Twitter. Nele, diz que “Se confirmar o que está sendo noticiado, a situação do governo é insustentável”, disse. “O Brasil não pode passar o que passou nas mãos dos petistas e o novo governo não ser diferente.”

Já a senadora petista Vanessa Grazziotin escreveu que quer “acordar logo para ver a renúncia do Temer.”

O procurador-geral Deltan Dallagnol, responsável pela Lava Jato, fez um desabafo no Facebook. "Ninguém mais aguenta toda essa podridão", escreveu, dizendo que o Congresso precisa aprovar uma reforma contra a corrupção e que a sociedade deve ir às ruas protestar. "Não roubarão nosso país de nós. Lutaremos por ele até o fim".

Os comentários não se limitaram a políticos. Celebridades também usaram as redes para falar sobre as delações. A atriz Patrícia Pillar postou, em seu Twitter, uma imagem que convoca para manifestações que pedem Diretas Já e a renúncia de Temer. A mesma imagem foi compartilhada pela atriz Letícia Sabatella, em seu Instagram. 

Após a divulgação das delações, na noite desta quarta-feira, os ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha divulgaram vídeos em defesa do presidente, assim como o líder do PMDB na Câmara, Romero Jucá, dizendo que exige que os áudios e as delações ejam divulgadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.