Políticos e autoridades lamentam morte de Eduardo Campos

Para colegas e amigos, acidente encerra trajetória promissora de candidato do PSB

O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2014 | 16h43

Atualizada às 18h05

BRASÍLIA - Políticos, autoridades e amigos lamentaram nesta quarta-feira, 13, a morte do candidato do PSB, Eduardo Campos. No início da tarde desta quarta-feira foi publicada edição extra do Diário Oficial da União (DOU) com o decreto que declara três dias de luto em todo o País.

 

No fim da tarde, a candidata a vice na chapa do presidenciável Eduardo Campos (PSB), a ex-senadora Marina Silva definiu o acidente como uma "tragédia".

A repercussão da morte de Eduardo Campos:

Governo dos EUA:

"Nós ficamos profundamente tristes ao saber do acidente de avião que parece ter tirado a vida do candidato presidencial brasileiro Eduardo Campos bem como de seus companheiros de viagem. Os pensamentos e orações do povo americano estão com o Brasil nessa trágica ocasião."

Presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno:

"Dono de uma trajetória política impressionante, Eduardo Campos desenvolveu um trabalho profundo de gestão em Pernambuco, promovendo grandes transformações econômicas e sociais no Estado, como na área de segurança pública, com o desenvolvimento e implantação do Pacto pela Vida."

Vice-presidente, Michel Temer:

"Eduardo Campos era um político de princípios e valores herdados de sua família e levados com dignidade e honra por toda sua trajetória no Parlamento e no Executivo." "Assim como todo o País, estou chocado com esse acidente e com as perdas para amigos e familiares. Que Deus dê conforto a seus filhos, a sua mãe, familiares e a tantos admiradores que deixou órfãos neste triste dia."

Presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL):

"É com profundo pesar que lamento a morte tão precoce e trágica do candidato do PSB à presidência da República, Eduardo Campos. Uma tragédia que deixa o Brasil chocado e surpreso. O país sofre a dor coletiva da perda de uma das mais promissoras lideranças da política brasileira. Eduardo Campos foi um homem respeitável em todos os aspectos de sua personalidade, um pai exemplar e uma referência como homem público nos cargos que exerceu. Em nome do Congresso Nacional e em meu próprio envio condolências à família, ao PSB e ao governo do Estado de Pernambuco."

Presidente da Câmara dos Deputados, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN):

"Foi um homem público digno, que honrou o Estado de Pernambuco, o Nordeste e o Brasil."

Presidente interino do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski:

"Em nome pessoal e da Corte, o Ministro Lewandowski expressa o seu sentimento de pesar e presta condolências à família."

Vereadora de Recife, Marília Arraes (PSB), prima de Eduardo Campos:

"Eduardo morreu em um dia que já era muito doloroso para todos nós, porque é aniversário da morte de meu avô Miguel Arraes. Agora, a dor se tornou insustentável. Eduardo é o meu primo mais velho, uma pessoa muito querida por mim, alegre, saudável e que amava viver. Apesar de discordarmos politicamente nos últimos tempos, mantínhamos o nosso relacionamento familiar preservado. Sempre deixei claro que qualquer divergência seria menor do que os laços que nos uniriam para sempre - tanto com ele, quanto com qualquer familiar tão próximo. Isso porque, desde cedo, aprendemos a separar os assuntos políticos dos familiares."

Candidato à Presidência pelo PV, Eduardo Jorge:

"Esta perda é muito triste para o País. Eduardo Campos era uma liderança muito jovem e muito importante para o Brasil. Toda minha solidariedade à família."

Ex-ministro da Fazenda do governo José Sarney Maílson da Nóbrega:

"Todos nós estamos chocados com essa tragédia. O Brasil perde um líder promissor para conduzir o destino do País em algum momento de sua trajetória. Ninguém estava preparado."

Prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB):

“Um jovem de 49 anos, um grande líder que fez tanto por tantos brasileiros e pernambucanos, que deixa uma dor que não tem como expressar nem como medir.”

Líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE):

"Nós pernambucanos sabemos o quanto ele representou em termos de qualificação da gestão. Para nós, é uma perda irreparável."

Presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, candidato ao Senado:

"O Brasil perde um grande líder, um homem público sensível, uma esperança para os que seguem acreditando no exercício da política como instrumento de fortalecimento democrático."

Ex-senador Tasso Jereissati (PSDB):

O ex-senador Tasso Jereissati (PSDB) lamentou, em nota, a morte do candidato a presidente da República pelo PSB, Eduardo Campos. “Lamento profundamente a perda de meu amigo pessoal e grande brasileiro”, afirmou o tucano em nota postada no Facebook de sua campanha a senador.

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, José Antonio Dias Toffoli:

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), José Antonio Dias Toffoli, divulgou uma nota sobre a morte de Eduardo Campos. "Em nome do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro presidente Dias Toffoli lamenta o trágico acidente que vitimou o candidato à Presidência da República Eduardo Campos e equipe, ocorrido em Santos (SP), na manhã desta quarta-feira (13).

Governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho (PP):

"O destino nos privou de um dos arquitetos do futuro do Brasil. Eduardo Campos deixará como legado uma trajetória política marcada pela altivez, pela inquietude diante das injustiças e por um profundo desejo transformador."

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB):

"O Brasil infelizmente perdeu uma liderança jovem, promissora, que tinha muito a contribuir com nosso País. Foi uma tragédia que entristeceu todo nosso País. Quero, em nome da população de São Paulo, transmitir nossos sentimentos aos parentes de todas pessoas que perderam suas vidas."

Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT):

"Campos deixa só amigos, que viam nele alegria, inteligência e esperança. Triste."

Governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT):

"Num momento como este nós como candidatos suspendemos nossa campanha e transmitimos nossa solidariedade a todas as pessoas do grupo político do Eduardo Campos, que foi, como todos sabem, um grande brasileiro". O governador decretou luto oficial de 3 dias.

Governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB):

"Quero levar ao povo de Pernambuco e ao povo brasileiro minha palavra de solidariedade e muito tristeza, mas, ao mesmo tempo, de muita esperança. Acho que o Eduardo transmitiu isso a nós todos. Lamento o trágico acontecimento. Mas que a vida dele sirva de exemplo para todos nós de muita voluntariedade e coragem e, acima de tudo, de muito compromisso com o povo pernambucano e com o povo brasileiro."

Governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB):

"Às vezes um político tem mais uma coisa que outra, mas o Eduardo tinha coragem pra aliar ideias com práticas, mudança com gestão. O Brasil e a política brasileira ficam muito mais pobres - e não só por causa desta eleição presidencial. O Brasil tinha em Eduardo uma porta, um caminho para um debate qualificado, uma esperança de futuro."

O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB):

"Eduardo sempre se revelou um intransigente defensor da democracia e um gestor eficiente, moderno e dinâmico. A morte de Eduardo Campos empobrece não somente o debate na sucessão presidencial, mas também a necessária e permanente discussão sobre os rumos que o país precisa tomar, independentemente do que seria o resultado eleitoral."

Líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM):

"Hoje é um dia muito triste para o Brasil. Perdemos nesta manhã um grande homem, um brasileiro exemplar, um político sério e competente."

Líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Antônio Imbassahy (BA):

"Uma tragédia se abateu sobre todos nós, hoje, com o desaparecimento inesperado e impensado de Eduardo Campos. O acidente aéreo vitimou não apenas um personagem da política nacional, mas uma grande personalidade brasileira."

Líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE):

"Tive o privilégio de uma longa proximidade com Eduardo. Convivemos como deputados, fomos juntos líderes, fomos juntos ministros e, sobretudo, compartilhamos com nossas famílias a intimidade de amigos. Eu, Monica (mulher do Eunício) e meus filhos estamos profundamente tristes e chocados com esta tragédia."

Presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Felix Fischer:

"Em nome do Tribunal, manifesto, com sentimentos de pesar, condolências à família enlutada."

Presidente do Superior Tribunal Militar (STM), ministra Maria Elizabeth Rocha:

"A vida política do País perde um grande homem, descendente de uma linhagem de lutadores que muito fizeram pela história do Brasil. Sua trajetória política revelou uma pessoa capaz de dialogar com todos os setores da sociedade e com as diversas linhas de pensamento político e social."

Ministro da Fazenda, Guido Mantega:

"Neste momento de perplexidade, junto-me às vozes de todo o país que lamentam a perda súbita e prematura do ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência da República, Eduardo Campos. Meus sinceros sentimentos a sua família e amigos, extensivo aos familiares de todas as vítimas desta tragédia."

Presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho: 

"Recebi com profundo pesar e tristeza a notícia do trágico falecimento de Eduardo Campos. Por sua coragem, competência e retidão no exercício da política, deixa uma enorme lacuna. O Brasil perdeu uma liderança de primeira grandeza; os que lutam pela justiça social, um companheiro; e eu, um amigo."

Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão:

"Eduardo Campos foi um grande político, pelo que deixará uma lacuna na vida pública do seu Estado e do País. Solidarizo-me com a sua família, com os familiares das demais vítimas da tragédia e com o povo de Pernambuco, que sofre, como os demais brasileiros, a perda de um importante líder."

Candidato do PSB ao governo de Minas Gerais, Tarcísio Delgado:

"Campos teve total influência na minha candidatura. Foi ele que no minuto final deu a palavra de que precisava de alguém que carregasse a bandeira do seu partido em Minas e que optava pelo meu perfil para carregar essa bandeira. Foi o momento que eu tive que aceitar a candidatura, inclusive eu que não tinha propósito de ser candidato."

Presidente do PSB no Piauí, Wilson Martins:

"Perdemos um irmão, que além de ser um grande estadista, representava para nós todos a esperança de um Brasil melhor. Era uma amizade grande que construímos e aprendemos muito."

Coordenador da campanha de Eduardo Campos no Pará, Ademir Andrade (PSB):

"Não tem ninguém para substituir ele. Um cara que não faz política para político, que passa por cima da malandragem da política. Ele criou a esperança na gente, que estava tão desacreditado."

Presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Augusto Nardes:

"Em decorrência da tragédia, que abala todo o País, o TCU se solidariza com as famílias, bem como com a sociedade pernambucana e brasileira."

Presidente da OAB Nacional, Marcus Vinicius Furtado Coêlho:

"O Brasil perde um grande homem público, um estadista, alguém dedicado à causa de servir ao próximo."

Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST):

"Sem dúvida, sua morte prematura é uma grande perda para a política nacional, e os Sem Terra perdem um amigo e grande apoiador da luta pela terra e pela transformação social no País. O povo brasileiro também perde um político jovem e comprometido com as causas de um País mais justo."

Confederação Nacional da Indústria (CNI) :

"A determinação, o espírito público, a capacidade de gestão e a habilidade de articulação política fizeram dele um dos governadores mais bem avaliados do País e o colocaram entre os principais presidenciáveis."

Presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal:

"O Brasil e Pernambuco perderam um grande líder político e um administrador público competente. Mas meus pensamentos neste momento são para sua família, a quem estendo profundo pesar em meu nome pessoal, como seu admirador e amigo."

Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp):

"O País perde um grande brasileiro de trajetória política marcada por dedicação diante de suas convicções."

Presidente do Santander Brasil, Jesús Zabalza:

"O Brasil perde um de seus mais importantes homens públicos, que soube como nunca honrar a forte tradição política de sua família."

Presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins: 

"O Brasil perdeu um grande homem, uma grande liderança política. Somos solidários na dor dos familiares de Eduardo Campos e das demais vítimas dessa tragédia."

Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC): 

"Eduardo Campos deixa como uma de suas mais expressivas marcas a confiança, a fé e a esperança no potencial do País, um sentimento inspirador para todos os brasileiros."

Federação da Agricultura do Paraná (Faep):

"Com uma trajetória política irretocável e vitoriosa, Campos, como uma jovem liderança, trazia a mensagem de renovação e esperança de mudança ao nosso País, a partir das próximas eleições."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.