André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Políticos discutem nas redes sociais fala de Cármen Lúcia sobre ser chamada de 'presidente'

A ministra do STF, que vai assumir a presidência da Corte a partir do dia 12 de setembro, prefere o termo neutro, com base em seus conhecimentos na língua portuguesa; já o ex-ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, citou Carlos Drummond de Andrade para justificar o uso de 'presidenta'

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2016 | 16h35

SÃO PAULO - O comentário da ministra Cármen Lúcia, que assumirá a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) a partir do dia 12 de setembro, dizendo que quer ser chamada de "presidente", e não de "presidenta", causou discussões entre políticos nas redes sociais nesta quinta-feira, 11.

"Eu fui estudante e eu sou amante da língua portuguesa. Acho que o cargo é de presidente, não é não?", falou Cármen durante sessão do STF, na última quarta-feira, 10, se dirigindo ao atual presidente da Corte, Ricardo Lewandowski, quando este perguntou com qual das duas formas ele deveria chamá-la.

Na manhã desta quinta, 11, o ex-ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, que comandou a pasta durante cinco meses no governo Dilma Rousseff, comentou o assunto em seu perfil no Facebook, dizendo que as duas formas estão corretas e citando diretamente a magistrada.

"Gosto da ministra Carmen Lucia, mas, entre o português dela e o de Carlos Drummond de Andrade, fico com o do poeta - que, na sua tradução de Choderlos de Laclos, usa "presidenta" sem nenhum problema. Obs.- Eu prefiro usar presidente, mas respeito Drummond, um de nossos maiores escritores", escreveu.

"Acusar quem usa presidenta de ignorante é, isso sim, ignorância. Mas cada um usa a que prefira. Livre para Dilma, livre para Carmen", escreveu o ex-ministro em outra publicação. A deputada Maria do Rosário (PT-RS) replicou no Twitter o comentário de Ribeiro. "Genial, Renato Janine disse exatamente o que penso e sinto", afirmou em sua conta.

Internautas fizeram piada com a situação exibindo um vídeo do pronunciamento da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) durante a sessão que votou a pronúncia do processo de impeachment de Dilma Rousseff, na terça-feira (9), em que ela fala que "uma 'presidenta inocenta' está sendo retirada do poder".

Na página da senadora no Facebook, usuários da rede se dividiam nos comentários entre defensores e críticos da expressão usada por ela. Um dos críticos foi o ex-deputado federal Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB. "Grazziotin disse que a 'presidenta' é 'Inocenta', mas reconhece que ela não tem condições de voltar. Então, admite que ela é 'incompetenta'?", escreveu no Twitter.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.