Ailton Cruz/Estadão
Ailton Cruz/Estadão

'Política Sub30': Cibele Moura, a mais jovem deputada de Alagoas critica a 'lacração' nas redes

Aos 22 anos, a deputada estadual é uma das cinco mulheres da Assembleia Legislativa de Alagoas e não esconde sonho de ser governadora um dia

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de dezembro de 2019 | 10h37

Com 22 anos, Cibele Moura (PSDB-AL), a deputada estadual mais jovem de Alagoas, finaliza o primeiro ano de mandato com sentimento de que é preciso buscar construir pontes em uma política radicalizada. "Não é idade, é vontade de querer conversar em um Brasil completamente polarizado, as pessoas quererem sair do Facebook e da lacração para vir para o diálogo", afirma ela. 

"Vale a pena estar ganhando alguns votos por estar lacrando ou vale a pena estar tentando ajudar o seu Estado ou o Brasil buscando diálogo?", questiona. 

Ela é uma das cinco mulheres da Assembleia Legislativa do Estado - são 27 deputados. Entre seus projetos aprovados na Casa, há um projeto de lei que impede condenados na Lei Maria da Penha de serem nomeados pelo Estado para cargos em comissão. "A gente tem a maior bancada feminina da história, mas ainda falta muito para ter iguais condições para a mulher participar da política". 

Cibele quer chegar longe na política: "Se algum dia Alagoas me deixar ser governadora, daqui uns 30 a 40 anos, quem sabe, esse é o sonho". 

Com apresentação dos repórteres de Política Adriana Ferraz e Paulo Beraldo, a série de podcasts começou na segunda com a entrevista de Kim Kataguiri (DEM-SP). Depois, ouviu o capixaba Felipe Rigoni (PSB-ES)Felipe Francischini (PSL-PR), líder da CCJ na Câmarae a deputada estadual Isa Penna, do PSOL-SP. Na segunda, foi a vez de João Campos (PSB-ES). 

O roteiro é de Clara Rellstab e a edição, de Clara e de Ana Paula Niederauer. A finalização é de Moacir Biazzy e o coordenador do núcleo de áudio é Emanuel Bonfim. 

Ouça os outros episódios: 

Tudo o que sabemos sobre:
Política Sub30 [minissérie]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.