Política social é trunfo de Lula; eleitor valoriza imagem de Alckmin

Complemento de pesquisa encomendada pela TV Globo e pelo jornal Folha de S. Paulo sobre a corrida presidencial, divulgado terça-feira pelo Instituto Datafolha, mostra o que leva o eleitor a escolher seu candidato à Presidência. Entre os eleitores de Lula, 25% apontaram propostas e desempenho na área social como razão para votarem no atual presidente. Já 14% citaram as propostas e desempenho na área econômica, enquanto 14% apontaram a impressão de que o governo Lula é voltado para o povo. Por sua vez, 12% escolheram Lula por sua imagem pessoal e 11% aprovaram desempenho e propostas em relação a salários. A margem de erro para a pesquisa sobre as razões do voto em Lula é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos. Entre os eleitores de Geraldo Alckmin, 32% dizem que decidiram votar nele por sua imagem pessoal; 18%, porque ele fez uma boa administração; 8%, por suas propostas e desempenho na área de saúde; 7% por suas propostas e desempenho na área de educação e 6% por ser um novo candidato e dar oportunidade de mudanças. A margem de erro para a pesquisa sobre as razões do voto em Alckmin é de três pontos porcentuais, para mais ou para menos. No caso dos eleitores de Heloísa Helena, 43% escolheram a candidata por sua imagem pessoal; 38%, por ela ser mulher; 7%, por ser uma nova candidata e dar oportunidade de mudar as coisas; 3% por aprovar suas propostas na área de saúde e 3% por ser a mais preparada pela experiência política. A margem de erro para a pesquisa sobre as razões do voto em Heloísa Helena é de cinco pontos porcentuais, para mais ou para menos. O Datafolha usou como referência o cenário em que o PMDB não tem candidato próprio. Outros candidatos também foram pesquisados pelo instituto, mas tiveram menos de 5% das intenções de voto. Foram entrevistados seis mil eleitores em 258 municípios, nos dias 23 e 24 de maio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.