Política hoje: o pagamento da fatura

Segunda denúncia contra Temer é um dos principais destaques desta semana

Elizabeth Lopes e Daniel Galvão, O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2017 | 09h09

A semana política começa com o foco na expectativa da votação, na quarta-feira, 25, no plenário da Câmara dos Deputados, da segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco. Apesar da contabilidade do Palácio do Planalto indicar mais uma vitória para o peemedebista e seus principais colaboradores, no domingo, 22, em reunião no Palácio da Alvorada, a preocupação era com a possibilidade de falta de quórum para liquidar o assunto ainda esta semana. Por essa razão, Temer recebe hoje, 23, e amanhã, 24, véspera da votação, parlamentares de sua base aliada e líderes governistas para tentar resolver as últimas pendências e insatisfações desses partidos, que vão desde pedidos de emendas até a liberação de cargos.

Além do pagamento da fatura a aliados, o governo já deixou claro que pretende retaliar os parlamentares que não votarem a favor do peemedebista. Na reunião de domingo, 22, do presidente da República com seus aliados, a avaliação geral foi de que a votação desta quarta-feira, 25, será o mais importante teste de fidelidade da base aliada e servirá para medir com quem o Palácio do Planalto pode ou não contar daqui para frente. Uma das grandes interrogações é o PSDB. A avaliação dos líderes tucanos é de que a estratégia do Planalto de salvar o mandato de Aécio Neves (PSDB-MG) no Senado, em troca de votos a favor de Temer, poderá não se concretizar na prática.

Na estratégia de reforçar o placar a favor de Temer, nove ministros que detêm mandato de deputado federal já foram exonerados. Os titulares ficarão licenciados até o dia da votação. A ideia é que essa denúncia seja barrada com, ao menos, o mesmo placar da primeira - 263 a 227 votos. Como parte do regimento para a votação em plenário, amanhã, 24, o parecer do relator da segunda denúncia, deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que pede o arquivamento da peça, deverá ser lido em plenário. O governo precisa de apenas 172 votos para arquivar a acusação. Já a oposição precisa de, ao menos, 342 votos para que a denúncia seja acatada e o processo aberto no Supremo Tribunal Federal (STF).

No Senado, o imbróglio em torno de Aécio terá mais um capítulo esta semana, com o presidente do Conselho de Ética da Casa, João Alberto (PMDB-MA), definindo se abrirá ou não processo disciplinar contra o senador tucano no colegiado, a pedido do PT.

Na semana política, outro destaque é o Fórum Estadão Mãos Limpas e Lava Jato, que será realizado amanhã, 24, a partir das 9h, para discutir as investigações de combate à corrupção, da Itália e do Brasil, com o juiz responsável pela Operação Lava Jato na 1.ª instância, Sérgio Moro, o procurador da República Deltan Dallagnol, e os magistrados Piercamillo Davigo e Gherardo Colombo, que trabalharam na força-tarefa de procuradores de Milão criada há 25 anos. O evento é uma associação entre o Estado e o Centro de Debate de Políticas Públicas (CDPP).

A seguir, os principais itens da agenda de hoje.

Ilan/Cármen. A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, se reúne nesta segunda-feira, 23, com o presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, e com o presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal. O encontro será na sede do STF, em Brasília. De acordo com o BC, o tema do encontro é o acordo de cooperação técnica entre o banco e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que consta na agenda BC+ sobre mediação de conflitos.

STF/Dyogo. A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, recebe também hoje, em audiência, o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, e o secretário de Orçamento Federal, George Soares. Em pauta, o fundo penitenciário.

CPI/Previdência. A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Previdência no Senado reúne-se para apresentação do relatório final.

Moraes/Rio. O Ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes fará uma conferência, a partir das 15h, na sede da Procuradoria-Geral do Estado do Rio de Janeiro (PGE-RJ) sobre "O papel do STF no fortalecimento institucional brasileiro".

Cabral/interrogatório. O ex-governador Sérgio Cabral, cujas penas já somam 72 anos, e a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo serão interrogados na 7.ª Vara da Justiça Federal do Rio nesta segunda-feira, a partir das 14h.

Alckmin/Agenda. O governador Geraldo Alckmin participa hoje, às 10h, de evento que marca a assinatura do contrato de concessão do lote Rodovias dos Calçados para a concessionária ViaPaulista, que irá operar 720 quilômetros de rodovias que atravessam 35 municípios das regiões de Bauru, Franca, Itapeva, Ribeirão Preto, Sorocaba e Central. A empresa assume o lote nos próximos 30 dias, quando dará início às obras de melhoria. Serão investidos R$ 443 milhões no primeiro ano de concessão, de um total de mais de R$ 5 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.