Política econômica não muda, diz Mantega

Com um discurso cuidadoso e otimista, o novo ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse, no seu primeiro pronunciamento, que a política econômica não será alterada. "A política econômica não é a do ministro Palocci (Antonio Palocci, ministro demissionário da Fazenda), da ministra Dilma (Dilma Rousseff, ministra da Casa Civil) ou do ministro Paulo Bernardo (Planejamento). É a política econômica do presidente Lula", afirmou. "O presidente Lula é o fiador da política econômica".Na sua primeira entrevista como ministro da Fazenda, Mantega disse que a atual política econômica "é a mais bem-sucedida dos últimos 20 anos". E colocou o Brasil num novo ciclo de desenvolvimento. Mantega destacou a inflação sob controle, as contas públicas equilibradas, a dívida externa em seu menor patamar e afirmou que está em curso um processo de crescimento com geração de empregos. Lembrou que em três anos foram gerados 3,7 milhões de empregos.De acordo com Mantega, em 2006 o Brasil deverá crescer entre 4% e 4,5%, fruto não somente do aumento do emprego, mas também da expansão da massa salarial. Segundo ele, o crescimento deste ano é o primeiro de uma série de vários anos de crescimento sustentável. Ele disse que a economia brasileira nunca esteve tão sólida.Questionado sobre qual a imagem do ministério após a quebra de sigilo do caseiro Francenildo, Mantega afirmou que a imagem do Ministério é de uma política econômica eficiente, que resolveu os desequilíbrios do País e colocou a economia na rota de crescimento.O porta-voz do Planalto, André Singer, que participa da entrevista, informou que a exoneração de Palocci será publicada no Diário Oficial desta terça-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.