Política econômica é o cachorro correndo atrás do rabo, diz Serra

O presidente nacional do PSDB e pré-candidato à prefeitura de São Paulo, José Serra, criticou hoje, em Curitiba, a política econômica do governo Luiz Inácio Lula da Silva, definindo-a como "perfeito círculo vicioso de um cachorro correndo atrás do rabo sem conseguir morder nunca". "Aumenta a carga tributária, que aumenta o juro, que aumenta a despesa pública, porque o governo está endividado. O aumento do gasto do governo aumenta o déficit e o aumento do déficit aumenta o imposto para cobri-lo. Aumento de imposto aumenta preço, que aumenta o juro, que aumenta imposto, que aumenta o déficit...", avaliou.Segundo Serra, isso está acontecendo porque, ao invés de fazer prevalecer o tripé de política econômica que ele pregava durante a campanha - câmbio flutuante, responsabilidade fiscal e metas de inflação -, o governo petista preferiu o tripé carga tributária, superávit fiscal e juros muito elevados. "São incompatíveis com o crescimento", criticou em palestra a cerca de 600 empresários reunidos pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná. O pré-candidato a prefeito de São Paulo não deixou o seu discurso eleitoral de fora. As mudanças viárias foram o alvo. "Não se resolve o problema do transporte com viadutos, que é a maneira mais rápida de comunicar dois engarrafamentos", afirmou. "O que falta é planejamento e a administração do PT não faz diferente em relação ao passado, coisas de última hora, para mostrar obras, isso e aquilo. Uma prefeitura é avaliada pelo desempenho em quatro anos e não pelo que faz de afogadilho, no último momento", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.