Política de defesa nacional será atualizada até final do ano, diz FHC

Até o fim do ano o ministro da Defesa, Geraldo Quintão, irá apresentar ao presidente Fernando Henrique Cardoso a atualização da Política de Defesa Nacional. A informação foi dada pelo próprio presidente em seu programa Palavra do Presidente. Segundo ele, a nova política de Defesa Nacional está sendo definida a partir de debates com civis e militatres e conta com a colaboração de especialistas em estratégias e defesa, de universidades, Congresso, imprensa e os outros seguimentos da sociedade. O presidente aproveitou o seu programa de hoje para parabenizar o Minsitério da Defesa pelos seus três anos de criação. "É motivo especial de comemoração porque cumpri uma promessa feita durante a campanha eleitoral de 1994, pondo fim a uma espera de mais de 50 anos", afirmou o presidente. Para ele, "valeu a pena" a escolha de um modelo de Ministério adaptado aos hábitos e tradições brasileiros. "Fizemos um Ministério que é a imagem do Brasil, um país que tem o privilégio de não cultivar inimigos e ser aberto a todas as Nações do mundo", disse. Fernando Henrique ressaltou que a escolha do modelo do Ministério da Defesa partiu de um "criterioso e democrático" debate, envolvendo Congresso e Forças Armadas e que o fato de seu titular ser civil, com o apoio das Forças Armadas, é uma prova da escolha democráticas. O presidente manifestou ainda o seu reconhecimento à colaboração dos militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica durante os quatro anos em que foi debatida a criação do Ministério.Como exemplo da integração entre as três Forças, citou a Operação Tapuru, realizada na Amazônia, na qual durante 19 dias 4 mil militares estiveram operando seis navios, 20 aviões e 14 helicópteros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.