Polícia suspeita que grupo tentava disseminar dengue

Dois funcionários da prefeitura de São José dos Pinhais (PR) e um da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), cedido por convênio à prefeitura, foram detidos pela Polícia Militar sob acusação de estarem transportando larvas do mosquito da dengue de Mafra (SC) para a região de Curitiba. A polícia suspeita que eles queriam reintroduzir a doença na região para garantir os empregos e a verba federal do programa de erradicação, já encerrado.Detidos ontem (21), eles foram enquadrados no artigo 268 do Código Penal, que prevê pena de um mês a um ano de prisão para quem infringe determinação do poder público destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa. Após depoimento, foram liberados mediante pagamento de fiança.Segundo o delegado de Fazenda Rio Grande, José Carlos de Oliveira, que fez o flagrante, a busca começou quando os funcionários deixaram o município com um carro oficial, sem autorização. A PM prendeu o funcionário da Funasa Sistane Ferreira da Silva, que trabalhava no Programa de Erradicação do Aedes aegypti, e dois funcionários da prefeitura, Valdir Saad, que coordenava a equipe do Centro de Controle de Zoonoses, e o motorista Paulo Roberto dos Santos.No carro foram encontradas duas garrafas contendo larvas de mosquitos. Até a tarde de hoje, a Secretaria de Estado da Saúde tinha analisado 40% do volume de larvas e verificado que são de mosquito comum, e não do Aedes aegypti.Os servidores disseram ser larvas do Aedes recolhidas no cemitério de Mafra (SC), a pedido de Isaac Subtil de Oliveira, também da Funasa, que as usaria em estudos e orientação de agentes municipais. O delegado disse que Subtil assumiu ter feito o pedido.Segundo a prefeitura de São José dos Pinhais, porém, essa justificativa não tem sentido, pois o programa de erradicação terminou. Há mais de dois anos não se registra nenhum caso de dengue na cidade. A prefeitura informou que vai abrir sindicância.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.