Polícia recomenda volta pela manhã ou após as 23h

O paulistano que quiser evitar os problemas enfrentados nas estradas no começo do feriado deve antecipar a volta para casa. A Polícia Rodoviária e as concessionárias que administram as principais rodovias do Estado aconselham que a viagem de retorno à São Paulo seja feita de manhã ou após as 23 horas, para evitar os congestionamentos.Desde às 17 horas de ontem está funcionando a Operação 2X5 no Sistema Anchieta-Imigrantes: subida pelas três pistas da Rodovia das Imigrantes e pista norte da Anchieta. De acordo com a Ecovias, empresa que administra as duas principais rodovias de acesso ao litoral paulista, cerca de 200 mil veículos passaram pelas duas estradas até a manhã de ontem. Segundo a empresa, o melhor horário da viagem rumo à capital é antes das 10 horas ou na madrugada de amanhã. A recomendação é a mesma da AutoBAn, que administra o sistema Anhangüera-Bandeirantes, por onde devem passar cerca de 248 mil veículos até a meia-noite de hoje. Quem voltar do interior deve evitar pegar a estrada entre 15 horas e 22 horas, horário considerado de maior movimento. A Polícia Rodoviária Estadual também prevê trânsito intenso nas estradas de acesso ao litoral sul e norte do Estado. Por isso, os policiais aconselham que as viagens sejam realizadas até ao meio-dia de hoje.Ao contrário do que ocorreu na quinta e na sexta-feira, o movimento nas principais rodovias paulistas foi tranqüilo ontem de manhã. Apenas no sistema Anchieta-Imigrantes o movimento de descida para o litoral foi considerado acima do normal. Entre 8 e 9 horas de ontem, desceram a serra 3.682 veículos, com média de 61 carros por minuto. A Polícia Rodoviária Federal informou que desde zero hora de quinta-feira até às 11h30 horas de ontem foram registrados 121 acidentes nas estradas federais, que resultou em 49 feridos e quatro mortos. Nas estradas estaduais paulistas ocorreram 396 acidentes do meio-dia de quinta-feira, véspera do feriado, até 1 hora de ontem. Segundo o balanço da Polícia Rodoviária, os acidentes resultaram em 256 vítimas, das quais 33 fatais e 49 graves.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.