Polícia procura guerrilheiro das FARC ligado a Beira-Mar

A polícia procura um homem enviado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para angariar recursos e pessoal a fim de resgatar da prisão o traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar.O colombiano, que seria um especialista nesse tipo de operação, está numa favela da zona norte do Rio dominada pela facção criminosa de Beira-Mar, o Comando Vermelho (CV), sob a proteção de um traficante local.O nome do guerrilheiro, da favela onde ele se esconde e do bandido que o recebeu são mantidos sob sigilo porque a Subsecretaria de Inteligência (SSI) da Secretaria de Segurança Pública teme que a divulgação dos dados atrapalhe as investigações. A polícia já está fazendo operações na comunidade.Agentes e informantes da SSI estão infiltrados para buscar pistas que levem à prisão do guerrilheiro. O subsecretário Antônio José Ferreira Freire acredita que a movimentação do bandido ajudará a polícia a detê-lo. ?Se o objetivo dele é conseguir pessoas e recursos, ele terá que se movimentar. Estamos disseminando informações na nossa rede de comunicação para que cheguemos a ele.?O bandido teria treinamento para fazer resgates e recrutaria criminosos do Rio para tirar Beira-Mar da cadeia. ?As Farc têm pessoas com capacidade de treinamento, que estão há anos no meio da mata, em situações adversas?, disse o subsecretário.A secretaria foi informada sobre o guerrilheiro no fim de outubro e, por isso, transferiu Beira-Mar do Batalhão de Choque da Polícia Militar para o presídio Bangu 1, no dia 26 de outubro. A missão do guerrilheiro inclui juntar R$ 2 milhões para colocar a ação em prática.Os policiais da SSI estão analisando crimes que podem estar relacionados com o plano ? por exemplo, o assalto a dois carros-fortes no Sul do Estado no início do mês, que rendeu aos bandidos R$ 1 milhão.?Isso chamou nossa atenção, principalmente pela forma como eles agiram (foram 15 homens armados com fuzis e granadas)?, afirmou o coronel Freire, acrescentando que esse tipo de crime é raro no Rio.O crescimento do número de assalto a banco ? de quatro, em agosto, para dez, em setembro ? também está sendo observado. O interesse das Farc por Beira-Mar se deve ao fato de o traficante ser o principal comprador brasileiro da droga vendida pela organização, segundo a SSI.O pagamento seria feito em armas. Grande atacadista de drogas, Beira-Mar seria importante também por sua influência nas favelas do Rio dominadas pelo CV. A relação entre Beira-Mar e as Farc foi evidenciada pela proteção dada a ele por Tomás Molina, o Negro Acácio, um dos articuladores da organização durante o período em que esteve foragido na Colômbia.O diretor do Departamento do Sistema Penitenciário (Desipe), major Hugo Freire, disse que todo o complexo de Bangu ? cuja população carcerária é de 11 mil presos ? está com o policiamento reforçado, com 40 policiais a mais, além de carros.?O reforço será permanente. Com a proximidade do fim de ano, a carceragem fica inquieta?, afirmou. Ele não descarta a hipótese de os bandidos orquestrarem a tentativa de resgate a Beira-Mar, mesmo depois de o plano ter vazado. ?Seria bastante ousado, mas não vamos subestimá-los.?Destruído pelos presos durante a rebelião de 11 de setembro, o presídio de Bangu 1 foi reformado e conta agora com sistema de bloqueio de celulares, circuito interno de TV, vidros à prova de bala nas salas de visitas dos advogados e celas com portas reforçadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.