Polícia prende quatro pessoas de equipe de tablóide de Murdoch

A política prendeu quatro funcionários atuais e antigos da equipe do mais vendido tablóide de Rupert Murdoch, o Sun, e um policial neste sábado, em uma investigação sobre suspeita de pagamentos por parte dos jornalistas a autoridades da polícia por informação, disse a polícia e o editor do jornal.

TIM CASTLE, REUTERS

28 de janeiro de 2012 | 15h15

A polícia também visitou o escritório em Londres da editora do Sun, News International, braço britânico da News Corp, em uma investigação de corrupção relacionada à outra investigação em andamento sobre escutas telefônicas nas notícias do agora fechado tablóide News of the World.

O Comitê de Gestão e Normas da News Corp, criado em meio ao escândalo de escutas telefônicas, disse que operação de sábado foi o resultado de informações que tinha passado para a polícia.

"A News Corporation fez um compromisso no verão passado de que as práticas inaceitáveis de coleta de notícias por pessoas no passado não se repetiriam", disse o comitê em um comunicado confirmando a prisão de quatro "atuais e antigos funcionários" do Sun.

Três dos empregados, todos presos em suas casas, eram um homem de 48 anos do norte de Londres e dois homens de Essex, a leste da capital, com idade entre 48 e 56 anos.

O quarto homem, de 42 anos, foi preso após reportar para uma delegacia de polícia a leste de Londres.

O quinto preso foi um policial de 29 anos, que servia o Comando Territorial da Polícia de Met, que foi preso na delegacia central de Londres, onde trabalhava.

Todos os cinco estavam sendo questionados sob suspeita de corrupção.

Um repórter do Sun, que pediu para não ser identificado, disse que "todo mundo está um pouco chocado, há descrença na verdade. Mas há uma grande diferença entre escuta telefônica e pagamentos à polícia."

As prisões incluem o editor de crimes do Sun, Mike Sullivan, seu chefe de notícias Chris Pharo, e o ex-editor-adjunto Fergus Shanahan, disse à Reuters uma fonte familiarizada com a situação.

Também foi preso o ex-editor executivo Graham Dudman, agora colunista e escritor de mídia, disse a fonte.

Buscas em escritórios do News International em Wapping, a leste de Londres, e nas residências dos homens presos, devem continuar até a tarde, disse a polícia.

A operação eleva para 13 o número de detenções na investigação, sob alegações de que jornalistas pagaram a polícia em troca de informações, conhecida como Operação Elveden, uma das três investigações criminais sobre as práticas de coleta de notícias do News of the World.

Na semana passada, o News International estabeleceu uma série de ações judiciais após ter admitido que pessoas trabalhando para o tablóide hackearam telefones privados de celebridades e outros para criar histórias.

O escândalo de escutas telefônicas chamou a atenção para o nível de influência política de editores e executivos do News International e outros jornais na Grã-Bretanha.

Ele envergonhou políticos britânicos por seus laços estreitos com executivos de jornais e também a polícia, que falhou repetidas vezes em investigar as alegações de rastreamento telefônico.

(Reportagem adicional de Georgina Prodhan e Michael Holden)

Mais conteúdo sobre:
GERALPRISOESMURDOCH*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.