Polícia prende oito dos dez vereadores de cidade de Alagoas

Parlamentares são acusados de corrupção e desvio de dinheiro; autoridades buscam os outros dois

Carlos Nealdo, especial para o Estado

18 Maio 2012 | 14h50

MACEIÓ - Pelo menos oito dos dez vereadores do município de Rio Largo, localizado na Grande Maceió, foram presos no início da noite desta quinta-feira, 17, por policiais da Força Nacional de Segurança Pública, acusados de corrupção e desvio de dinheiro.

 

A prisão, realizada por determinação da 17ª Vara Criminal da Capital após denúncia do Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) do Ministério Público Estadual, foi realizada no momento em que os políticos participavam de sessão ordinária na Câmara Municipal.

 

Os oito vereadores presentes no plenário tiveram a prisão decretada e foram levados ao Instituto Médico Legal (IML) de Maceió, onde passam, neste momento, por exames de corpo de delito.

 

Segundo informações do Ministério Público, os dez vereadores que formam a Câmara Municipal de Rio Largo são acusados de negociarem, por 700 mil, um terreno no município avaliado em R$ 25 milhões. Os outros dois vereadores que não estavam presentes à sessão desta sexta, ainda estão sendo procurados por policiais da Força Nacional.

 

O Poder Legislativo Municipal de Rio Largo é composto pelos vereadores Aurízio Esperidião da Hora (PP), Cícero Inácio Branco (PMDB), Graça Calheiros (PMDB), Ionaide Cardoso (PMDB), Jean Móveis (PRP), Jefferson Alexandre (PP), Luiz Felhipe Malta Buyers, (PSB) Milton Pontes (PPS), Reinaldo Cavalcante (PP) e Thalez Luiz Peixoto Cavalcante (PSB). Além dos políticos, os policiais também cumprem mandados de prisão contra empresários e outras lideranças do município.

 

Mais conteúdo sobre:
Alagoas cidades nacional corrupção política

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.