Polícia prende mais 2 suspeitos por morte de coronel da ditadura

Alex Sandro de Lima e Maycon José Cândido teriam garantido a fuga dos irmãos acusados pelo assassinato de Paulo Malhães, ocorrido em abril

Tiago Rogero, O Estado de S. Paulo

30 Junho 2014 | 12h09

Rio - Os dois últimos foragidos envolvidos na morte do coronel Paulo Malhães foram presos na manhã desta segunda-feira. Com as novas prisões, a Polícia Civil acredita ter encerrado o caso da morte do militar, ocorrida em abril. No mês anterior ao crime, Malhães havia confessado,em depoimento à Comissão Nacional da Verdade, ter participado de torturas, mortes e desaparecimentos de presos políticos durante a ditadura, entre eles o ex-deputado Rubens Paiva.

Segundo a polícia, Alex Sandro de Lima e Maycon José Cândido, presos nesta segunda, garantiram a fuga dos irmãos Rodrigo e Anderson Pires, já presos, no dia do crime.

Acompanhados do caseiro do sítio de Malhães, Rogério Pires Teles, também já detido, Rodrigo e Anderson invadiram a casa do militar e roubaram mais de 20 armas de fogo. No momento da fuga, os irmãos bateram com o carro de Malhães e então contaram com a ajuda de Alex e Maycon, que foram buscá-los.

A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense, responsável pela investigação, informou que vai divulgar mais detalhes das prisões e da conclusão do inquérito na tarde desta segunda. 

Mais conteúdo sobre:
caso malhães prisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.