Polícia monta barreiras em áreas de conflito no Pará

As áreas de conflitos fundiários localizadas no sul do Pará terão policiamento reforçado por barreiras nas principais estradas da região já a partir de amanhã. Além de prender foragidos da Justiça e pistoleiros, a operação, que não tem data para acabar, cumprirá mandados de prisão preventiva previstos em inquéritos policiais.

CARLOS MENDES, Agência Estado

10 de junho de 2011 | 17h31

O comando da operação "Defesa da Vida" ficará com as polícias Civil e Militar do Pará e apoio de homens do Exército na região, agentes da Polícia Federal, Ibama, Polícia Rodoviária Federal e Força Nacional. O esquema foi definido hoje durante reunião na sede da Superintendência da Policia Civil, em Marabá.

O major Eduardo Pimentel, subcomandante do Comando de Policiamento Regional II (CPR-II) - uma divisão da Polícia Militar paraense especializada na atuação em conflitos fundiários -, explicou que a força-tarefa estadual e federal vai cobrir 16 municípios, além de outros localizados em áreas consideradas como "zona vermelha".

As barreiras ficarão nas estradas de acesso aos municípios de Marabá, Eldorado dos Carajás, Abel Figueiredo, Bom Jesus do Tocantins e Rondon do Pará. De acordo com plano de estratégia da PM, as ações ainda vão alcançar as cidades da região do rio Araguaia, além de Parauapebas, Canaã dos Carajás e Curionópolis.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciacampoPApolícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.