Polícia Militar ainda não fez estimativa de público na Avenida Paulista

Mais de uma hora após o início das manifestações contra o governo Dilma Rousseff na Avenida Paulista, a Polícia Militar ainda não fez estimativa de público no local. O trabalho de cobertura dos protestos começou, segundo perfil da PM no twitter, há mais de duas horas.

ALINE BRONZATI, Estadão Conteúdo

12 Abril 2015 | 16h29

No ato de 15 de março, houve divergências nos números divulgados. Enquanto a PM estimou um milhão de pessoas na manifestação ocorrida na Av. Paulista, o Data Folha contabilizou 210 mil participantes no local.

Neste domingo, 12, os manifestantes circulam com mais facilidade na Avenida Paulista. No início do protesto, uma rádio divulgou o número de 3 mil participantes com base em informações do comando da PM. A rede "FocoBrasil" estima que há mais de dez mil pessoas na Paulista.

Os grupos protestam contra a corrupção na Petrobras e contra o governo. Alguns pedem, ainda, o impeachment da presidente Dilma. Dentre os presentes, estão o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), o senador Ronaldo Caiado senador (DEM-GO) e o suplente do senador José Serra, José Aníbal (PSDB).

A PM informou que liberou os caminhoneiros a seguirem pela Rebouças, até a Consolação, de onde descerão até a Praça Roosevelt, o mesmo trajeto feito no dia 15 de março. O ato começou com um buzinaço pelas marginais Tietê e Pinheiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.