Polícia invade metrô de Atenas, mas greve continua

A polícia grega invadiu uma estação de trem em Atenas na sexta-feira para dispersar trabalhadores do metrô que desafiavam ordens do governo para acabar com a greve, intensificando o impasse que tem paralisado o transporte público na cidade.

Reuters

25 de janeiro de 2013 | 08h18

Linhas de metrô da capital grega permaneceram fechadas pelo nono dia, com a maioria dos trabalhadores dando continuidade à greve contra os cortes salariais previstos. Mas alguns estavam de volta ao trabalho depois da ordem, sob risco de prisão para quem não obedecesse a ela.

O confronto é o mais recente teste para a frágil coalizão da Grécia, que enfrenta sindicatos poderosos para poder implementar as medidas de austeridade exigidas pelos credores estrangeiros como preço para receber fundos de resgate.

Brigas ocorreram quando a polícia forçou sua entrada no metrô onde 90 trabalhadores se reuniram durante a noite em protesto. A polícia deteve pelo menos 10 trabalhadores, disse um funcionário em condição de anonimato. Uma mulher foi levada para o hospital com ferimentos leves, acrescentou ele.

O governo do primeiro-ministro Antonis Samaras tem adotado uma linha dura contra a greve.

"Quando uma ação trabalhista é julgada como ilegal e abusiva, a lei tem que ser implementada. Todos fizeram sacrifícios e ninguém pode pedir uma exceção", disse o porta-voz do governo Simos Kedikoglou à TV estatal NET nesta sexta-feira.

A greve afeta mais de meio milhão de pessoas em uma cidade com 5 milhões de habitantes.

(Por George Georgiopoulos)

Tudo o que sabemos sobre:
GERALGRECIAGREVE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.