Polícia indicia jovem por assassinato de índio em MG

Avelino Macedo foi espancado por três jovens, entre eles dois menores, e morreu no último dia 16

Eduardo Kattah, do Estadão

27 Setembro 2007 | 21h04

A Polícia Civil concluiu o inquérito sobre o assassinato do índio xacriabá Avelino Nunes de Macedo, de 35 anos, e o encaminhou nesta quinta-feira, 27,  à Justiça. Avelino foi espancado até a morte por três jovens, entre eles dois menores.   O crime ocorreu na madrugada do último dia 16, na comunidade de Virgínio, município de Miravânia, próximo da aldeia Xacriabá, em Minas Gerais.   O delegado de Manga, Airton Alves Almeida, indiciou o entregador Edson Gonçalves Costa, de 18 anos, por homicídio qualificado, com pena que varia de 12 a 30 anos de prisão.   Os dois menores, um de 15 e outro de 16 anos, irão responder por ato infracional. A Justiça acatou solicitação do Ministério Público e determinou a internação provisória deles por até 45 dias, que está sendo cumprida em cela separada da cadeia pública da cidade.   Ao final do processo, os adolescentes poderão ser privados da liberdade por, no máximo, três anos e meio. Em depoimento, os três negaram a intenção de matar o índio. Disseram que queriam apenas assustá-lo.   Conforme o inquérito, o laudo da necropsia aponta que o índio foi morto por traumatismo craniano. De acordo com depoimentos dos próprios autores das agressões, o crime ocorreu porque Avelino esbarrou em um dos menores durante uma festa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.