Polícia francesa desmente Maluf

O ex-prefeito Paulo Maluf não se apresentou de forma espontânea e por livre vontade ao Serviço Central para Repressão Financeira, órgão do Ministério do Interior, para prestar declarações. Segundo o porta-voz da Polícia Nacional Francesa, Maluf foi interpelado por agentes desse Serviço para as investigações que estão sendo feitas por um juiz parisiense e por suspeita de lavagem de dinheiro. A interpelação ocorreu às 10:30. Paulo Maluf permaneceu detido e prestando depoimento até as 21:20, quando foi liberado. A mesma fonte revelou que a informação judiciária prossegue, não tendo sido interrompida com a liberação. O porta-voz afirmou que qualquer outra informação sobre o caso passa a ser da alçada do Ministério da Justiça que, por enquanto, não se pronunciou. Isso poderá ocorrer no início da próxima semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.