Polícia Federal sofre falta de passaportes para emissão

A Casa da Moeda negou ser responsável pela paralisação do serviço de requerimentos de passaporte, que acontece desde terça-feira, 6, no Rio, ao contrário de cartaz colado na porta do posto da Polícia Federal (PF), no centro. Nele, a PF afirma que a entrega de novos pedidos está interrompida por tempo indeterminado porque a Casa da Moeda não está entregando as cadernetas. "A entrega está regularizada. Desde terça-feira tem 10 mil cadernetas a disposição da PF. Ontem (quarta), colocamos mais 10 mil disponíveis. Eles não devem ter vindo buscar porque deslocaram o efetivo para receber o (Fernandinho) Beira-Mar (o traficante, preso no Paraná, esteve no Rio no início da semana para assistir a uma audiência na Justiça Federal)", afirmou o presidente da Casa da Moeda, José dos Santos Barbosa. O superintendente da PF no Rio, Delci Teixeira, rebateu: "Usamos 25 policiais na escolta do Beira-Mar. Hoje tínhamos 250 homens numa operação em Macaé e mesmo assim fomos buscar as cadernetas". Dos 20 mil documento, apenas 3 mil ficarão no Rio. "Mais de 2.500 são para a demanda represada, pessoas que deram entrada no documento antes da paralisação do atendimento", explicou Teixeira, acrescentando que o serviço deve se normalizar no início da semana que vem, mas que poderá haver novas interrupções.Cerca de 1.500 cidadãos dão entrada no pedido de passaporte diariamente. Os mais prejudicados, são os que já estão com viagem marcada."Muita gente leu sobre o novo modelo de passaporte, lançado em dezembro, e acha que já irá recebê-lo". Por enquanto, o modelo de capa azul e com chip só está disponível no Distrito Federal, em Goiânia e Manaus. "Houve uma demanda que superou em muito a esperada pela PF", disse Barbosa. Segundo ele, em julho do ano passado, a PF e a Casa da Moeda assinaram um contrato para a entrega de 700 mil passaportes até maio. "Em janeiro toda essa quantidade já havia sido entregue", afirmou Barbosa. De acordo com a Casa da Moeda, um novo contrato, de 175 mil passaportes, foi assinado para cobrir os meses de fevereiro e março. "Entregamos 80 mil em fevereiro, 20 mil hoje e 75 mil iremos entregar até o fim do mês", prometeu Barbosa. Ele confirmou em parte a informação passada pela Polícia Federal, a de que um equipamento havia quebrado. Segundo o presidente da Casa da Moeda, a máquina, de origem alemã, está operando com 70% de sua capacidade, devido a quebra de um módulo. "Mas colocamos três turnos de trabalho e conseguimos regularizar a emissão", afirmou. Curitiba O setor de expedição de passaportes da Polícia Federal, em Curitiba, está com cerca de mil documentos agendados para serem entregues tão logo as carteiras comecem a chegar. De acordo com o delegado regional executivo da PF, Alcyon Dalle Carbonare, os documentos não estão chegando ao órgão, desde a semana passada. Por dia, são feitos entre 250 e 300 passaportes. Segundo ele, há apenas uma pequena reserva de passaportes, para serem utilizados em situações de emergência, como doença ou morte."Tem gente que já começa a ficar apavorado, começa a ligar, a perguntar quando ficará pronto", disse o delegado. "As pessoas, às vezes, não entendem que o problema não está na Polícia Federal." Ele acredita que na próxima semana já devem chegar algumas carteiras, que são feitas pela Casa da Moeda. Segundo Carbonare, se o documento estiver à disposição, o órgão tem condições de emitir em 20 minutos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.